Viva a paternidade madura!

Superação do cio biológico: A história humana (individual e coletiva) é determinada pela superação do cio biológico da fêmea em busca do cio psicobiofísico.          A Sabedoria Popular sempre considerou a dimensão da Energia Material Humana na sua visão de mundo.          O afluxo sanguíneo é que gera a potência genital, seja no homem, seja na mulher.          As doenças do corpo e da mente são alimentadas pela energia material humana mortal/negativa.          Fusão genital é o modelo de relação sexual onde homem e mulher vivenciam sua potência genital.          O modelo de vida (individual ou coletiva) da auto-regulação pressupõe a consciência e o enfrentamento da realidade do pecado.          A noção de pecado originária da Sabedoria Popular é porque essa sempre considerou a dimensão da energia material humana na sua visão de mundo.          Para a Sabedoria Popular pecado é a transgressão de alguma lei que rege a natureza humana.          Potente é quem, mais do que em suas capacidades, tem consciência de seus limites e os respeita, buscando sua superação.          A vivência da virtude nos faz potente e a vivência do pecado nos deixa impotente para amar e gozar a vida.          Não existe pessoa desorganizada: uns se organizam para ter paz, outros para ter aflição.
A aflição é o fogo do inferno!
25/12/2018
A fonte do verdadeiro prazer
27/12/2018

Paternidade madura é aquela que ajuda os filhos a se desligarem para que possam se religar ao Pai de todos.

Viva a paternidade madura!

Neste dia em que comemoramos a graça da paternidade, desejamos a todos os pais muita paz, luz e sabedoria, a fim de que possam exercer o seu papel em toda a sua plenitude, cuja profundidade tentamos retratar no poema a eles dedicado.
Oração aos pais(excerto)
(…)
Crescendo em seu ventre
sente  a mãe  o rebento.
Eis para mim, pai, um interdito.
Sentia-me inferiorizado.
Mas com a dimensão da energia,
em especial, a material humana,

onde o gênero não conta,
nem tão pouco a distância,
essa frustração foi ficando no passado:
mesmo no ventre da companheira
já se exerce, em plenitude, a paternidade,
seja para o bem, seja para o mal.
E quando o filhote sai do útero da mãe
e vem para o útero do mundo
mais se igualam os papéis.
Já que a nobreza desse papel,
seja da mãe, seja do pai,
está em se saber dosar
o desligamento do filho.

Mais do que isso, porém,
é se saber estimular o religamento
com o Pai de todos nós.
Eis porque continuo cantando
para alimentar-lhes a vida;

(…)
E nessa busca de se religar
com a Fonte da vida
nós, pais ,apontarmos,
para o filho-irmão,
o verdadeiro caminho
no exemplo do Irmão maior,
o Primogênito de todos,
e que a todos ensinou
O PAI NOSSO!