Livro propõe Sabedoria Popular para superar cultura patriarcal

Superação do cio biológico: A história humana (individual e coletiva) é determinada pela superação do cio biológico da fêmea em busca do cio psicobiofísico.          A Sabedoria Popular sempre considerou a dimensão da Energia Material Humana na sua visão de mundo.          O afluxo sanguíneo é que gera a potência genital, seja no homem, seja na mulher.          As doenças do corpo e da mente são alimentadas pela energia material humana mortal/negativa.          Fusão genital é o modelo de relação sexual onde homem e mulher vivenciam sua potência genital.          O modelo de vida (individual ou coletiva) da auto-regulação pressupõe a consciência e o enfrentamento da realidade do pecado.          A noção de pecado originária da Sabedoria Popular é porque essa sempre considerou a dimensão da energia material humana na sua visão de mundo.          Para a Sabedoria Popular pecado é a transgressão de alguma lei que rege a natureza humana.          Potente é quem, mais do que em suas capacidades, tem consciência de seus limites e os respeita, buscando sua superação.          A vivência da virtude nos faz potente e a vivência do pecado nos deixa impotente para amar e gozar a vida.          Não existe pessoa desorganizada: uns se organizam para ter paz, outros para ter aflição.
MASP Filosofia Popular
11/06/2020
Manifesto EGOlógico
11/06/2020
Livro propõe Sabedoria Popular para superar cultura patriarcal

1. ONDE ADQUIRIR

2. Prefácio do Livro: leia o prefácio para que tenha uma idéia geral da temática do livro, em especial, da distinção entre prazer e alívio

3. Veja Palestra de Lançamento dentro do programa “Sempre um papo”

4. Leia a  Entrevista ao Jornal Estado de Minas e à revista Saúde Plena

5. Leia também a parte da entrevista ao EM que não foi publicada

6 – Eis o texto das orelhas do livro

7. Reportagem no jornal do PC do B

O ser humano só conseguirá vencer a angústia e a infelicidade dos tempos modernos se reconquistar, coletivamente, a consciência sobre sua própria energia material e recuperar o conhecimento gerado pela Sabedoria Popular, desprezada pelo modelo de racionalidade mecânica que hoje impera, como expressão máxima da cultura patriarcal.

Esse é o recado básico do livro “Racionalidade da Sabedoria Popular: Energia Material Humana e sexualidade”, de G. Fábio Madureira, que será lançado no próximo dia 29 de outubro, às 19h30, na Sala Juvenal Dias, do Palácio das Artes, dentro da programação do Sempre um Papo.

Graduado em Letras pela UFMG e com especialização na área de educação, G. Fábio Madureira foi servidor concursado da Assembléia Legislativa de Minas Gerais e desde sua aposentadoria vem se dedicando, quase exclusivamente, aos seus anteriores estudos sobre as temáticas da Energia Material Humana, da Sexualidade e da Sabedoria Popular, tendo, inclusive, criado para este fim a Ong “SER em SI”.

Idéias

Fábio Madureira é enfático ao afirmar a impossibilidade de qualquer mudança real de indivíduos ou da sociedade sem que se supere o modelo de racionalidade patriarcal. Essa superação, segundo ele, tem uma de suas chaves no comportamento da mulher, hoje ainda submetida a uma ideologia que procura anulá-la. “A ideologia da mulher sem referência em si nasce de um processo histórico e, como tal, pode e deve ser superado”, afirma o autor.

A chave principal, entretanto, está no que o autor chama de “(re)conquista coletiva da consciência da Energia Material Humana”. Sem essa noção, diz ele, o ser humano tem perdido o referencial concreto de sua dimensão ética e vem aprofundando um sistema de hábitos e valores cada vez mais agressivos à sua própria natureza e motivadores da destruição da natureza que o rodeia. Para resumir seu pensamento, ele cunhou, inclusive, o neologismo “Egologia”.

Coerente com esse raciocínio, o autor coloca em xeque a racionalidade do saber dominante que trata do comportamento e das relações do ser humano. Mostra que esse saber tem se assentado em um conceito de matéria já ultrapassado cientificamente. Em contraposição, aponta a Sabedoria Popular como a detentora de uma racionalidade mais consistente, porque ela sempre abordou a matéria como sendo uma relação entre massa e energia.

Por causa disso, G. Fábio Madureira advoga o estudo do conhecimento gerado pela sabedoria popular como capaz de propiciar a formulação de uma visão de mundo menos alienante e, por isso, mais instrumental para a relação do indivíduo consigo mesmo e com seus semelhantes. E conclui: “Só assim será possível a construção de uma sociedade mais humanamente racional, inspirada na busca da inocência original.”

O livro

Editado pela Mazza Edições, “Racionalidade da Sabedoria Popular” está dividido em 32 pequenos capítulos, totalizando 176 páginas, que incluem também créditos autorais e referências bibliográficas. Nos capítulos, G. Fábio Madureira detalha idéias a respeito de questões específicas, como o conceito de energia material humana, o desejo, o pecado, o inconsciente coletivo e os fundamentos da Sabedoria Popular, entre muitos outros.