Depoimentos

Superação do cio biológico: A história humana (individual e coletiva) é determinada pela superação do cio biológico da fêmea em busca do cio psicobiofísico.          A Sabedoria Popular sempre considerou a dimensão da Energia Material Humana na sua visão de mundo.          O afluxo sanguíneo é que gera a potência genital, seja no homem, seja na mulher.          As doenças do corpo e da mente são alimentadas pela energia material humana mortal/negativa.          Fusão genital é o modelo de relação sexual onde homem e mulher vivenciam sua potência genital.          O modelo de vida (individual ou coletiva) da auto-regulação pressupõe a consciência e o enfrentamento da realidade do pecado.          A noção de pecado originária da Sabedoria Popular é porque essa sempre considerou a dimensão da energia material humana na sua visão de mundo.          Para a Sabedoria Popular pecado é a transgressão de alguma lei que rege a natureza humana.          Potente é quem, mais do que em suas capacidades, tem consciência de seus limites e os respeita, buscando sua superação.          A vivência da virtude nos faz potente e a vivência do pecado nos deixa impotente para amar e gozar a vida.          Não existe pessoa desorganizada: uns se organizam para ter paz, outros para ter aflição.

Aterramento

58 / masculino / professor
 Joelho da Vó Jovelina, a benzedeira No dia 14 deste mês levei o litro de conhaque da vó. Ia aproveitar pra ver se ela topava visitar minha mãe, já que está muito difícil a locomoção de mamãe, principalmente para descer as escadas da casa da vó. Nem cheguei a fazer a proposta. Logo que lhe perguntei como estava, contou-me sobre o estado de seus joelhos, principalmente o direito, e levantou-se pra me mostrar. Seu corpo tremia todinho. Parecia que estava estrebuchando. Até brinquei com ela dizendo que o espírito estava abaixando. Tive que ampara-la para não cair e voltar a se sentar. A Maria, sua filha, contou-me que a havia levado ao médico. Disseram que não tinha remédio. Era aquilo mesmo! Afinal, ela já era uma senhora de mais de 100 anos! E chega num ponto que o corpo se desgasta e não mais responde. Durante algum tempo aterrei o seu joelho direito. Suei nos sovacos de escorrer até a cintura. Ela também suou bastante. Aproveitei para voltar a insistir com ela sobre a necessidade de ficar com os pés no chão. Principalmente ela que ainda benzia. Contei-lhe a historinha da criação: vários bichos com casco e o homem sem. Por inveja o homem resolve fabricar o seu e deixa de sentir a terra. E é por ela que a gente se defende das energias ruins, pois que as puxa para si. No outro dia, domingo, voltei. Ela estava com os pés no chão. Sua filha me disse que desde sábado não voltou a se calçar. Torrnei a aterrar seu joelho, agora com a imantação da água. Ao final, disse-lhe para tomar bem devagarzinho e, a cada gole, lembrar-se do frio e da secura da alma, e que são esses que fazem mal. Hoje fui lá de novo. Antes mesmo que lhe perguntasse como estava, ela fez questão de dar uma volta pela sala. E estava firmezinha! De toda maneira achei melhor dar um repasse no joelho. Pedi um copo com água para a Maria e, surpreso, soube que ainda havia um resto da de domingo. Após a vó esgota-lo, enchi-o novamente e imantei a água com o resto que ainda tinha do joelho. Quase nada! Tanto que praticamente não suei. Nem ela. Quando cheguei à ong, contei para a Viviane e a Dalva. De chofre a Dalva associou o mal da vó com o problema do seu joelho e do da minha mãe. Com o que eu concordei. 18/09/2007 
27 / Feminino / Professora
 No dia 1º de junho foi o batizado do nosso filho Lucas, na Capela de Nossa Senhora Aparecida e São Judas Tadeu, no Prado. Lucas é um bebê de 2 meses, muito resolvido. Tudo nele é tranqüilo e harmonioso. Não dá muito trabalho para os pais. No dia do batizado resolvemos fazer um almoço para a família, com isso, estaríamos apresentando Lucas ao mundo Cristão. Como dito anteriormente, Lucas chegou ao batizado bonzinho e assim ficou. Passou pelas bênçãos dos avós e bisavós (que foram com dificuldade, já que estão com 90 anos de idade) e foi para os braços dos padrinhos e madrinhas. Ao derramar a água, Lucas até sorriu, foi muita alegria. Depois da cerimônia, fomos para a casa da avó materna, para um grande almoço para 80 pessoas. Lucas permaneceu no carrinho, lá ele ria, dormia. Por volta de 12:30, subiu para mamar. Todos da festa estavam encantados com Lucas, uma criança tranqüila e receptora de muitas energias. No decorrer da semana, o pai que estava de férias, ficava o tempo todo com Lucas, mas esse começou a ter momentos diferentes, como: ao mamar olhava para todos os lados, debatia as pernas e os braços. Não ficava sozinho como de costume, Precisava da presença constante de alguém conversando com ele. Na hora das cochiladas à tarde, não relaxava, assustando com freqüência. Em casa, na hora de dormir, Lucas ficava ansioso, querendo o bico, só assim, conseguia relaxar. No decorrer da semana Lucas permaneceu assim, deixando os pais um pouco apreensivos, pois não sabíamos o que estava acontecendo. No domingo, dia 08, depois de uma semana, fomos à missa pela manhã e depois fomos para casa da minha irmã Elayne, onde ela notou que Lucas estava agitado e não parecia aquele anjo tranqüilo e que havia algo errado e que Lucas precisava ser benzido. À noite liguei para tio Fabinho para ele ir ver o Lucas. Foram três dias de aterramento, como diz o tio. Para mim continua sendo benzeção. No primeiro dia, Lucas chorou muito na hora que tio Fabinho chegou e começou a benzer. Pediu até para eu sair do quarto, pois o sentimento de dó estava explícito em meu rosto. No segundo dia, Lucas estava melhor. Houve a benção da água (que para o tio é imantação), onde ele bebeu com gosto. Seu coco neste dia saiu verde. No terceiro dia, Lucas voltou a ser aquela criança tranqüila e amorosa de sempre.. 

Banho da Alma Banho da Alma

62 / Masculino / Jornalista
 Então volte a reintegrar-se gostosamente com seu corpo e este, por sua vez, agradecerá pelo banho que a mente tomou: está mais na sua, livre e solto para viver suas delícias também. 
30 / feminino / professora
 Só fui sentir a água quente se esfriar, depois que passou pelo meu couro cabeludo, na minha terceira experimentação. O relaxamento que senti depois foi muito gostoso! Sempre que me sinto estressada, pesada, tenho feito o “banho da alma”, o que proporciona um bem estar para o dia todo.  
30 / Feminino / Terapeuta Ocupacional
 Como tenho tido mais dificuldade com a prática da lobosofia, utilizei o exercício de deixar a água quente do chuveiro cair durante algum tempo sôbre o alto da cabeça.Notei a mudança da temperatura da água, caindo gélida sobre os meus ombros, numa percepção concreta da experiencia no meu corpo e obtendo um excelente relaxamento.Hoje me sinto mais confiante com o aprendizado da dimensão da energia material humana.  
62 / masculino / professor de literatura
 Querido amigo, gostei muito do texto. Claro e objetivo. E funciona mesmo. Já faço isso, por conselho seu, há algum tempo. 
40 / feminino / Secretária
 Para mim foi muito difícil sentir o descrito no texto. Em geral, sou muito tensa. Só consegui me entregar ao ritual lá pela sétima vez. E aí eu senti o frio da cabeça! Mais do que isso. Descobri porque o meu caçulinha de 3 anos não gostava de tomar banho. É que ele sentia isso e eu, sem saber, o obrigava a continuar debaixo do chuveiro. Agora, quando ele reclama, logo o enrolo numa toalha e deito com ele na cama. Muito legal!  

Bioencontro Bioencontro

29 / Feminino / Pedagoga e Sexóloga
 Sempre procurei me conhecer melhor, encontrar respostas para minhas dúvidas e anseios relativos a minha sexualidade e minha vida em geral. Nos Bioencontros, esta busca foi possível. Tive oportunidade de conhecer meu corpo, e perceber que nele, encontro todas as respostas que procuro. No MARF, me descobri mais mulher, capaz de viver uma sexualidade saudável, me amando e me respeitando mais. 
27 / feminino / psicóloga
 É uma experiência única, difícil de descrever, mas todas as pessoas deveriam vivenciar, pois o resultado desses Bioencontros é surpreendente. Aprendi a escutar o meu corpo e os sinais que ele me dá, tentando relacionar com situações da minha vida e aprendendo a lidar com eles. O MARF me ajudou a fazer uma reflexão quebrando paradigmas e me abrindo uma nova maneira de viver. 
39 / Feminino / Professora
 “Quando recebi o convite para participar dos “Bioencontros” fiquei bastante satisfeita e ao mesmo tempo curiosa. Tamanha foi a minha expectativa a respeito do assunto: Sexualidade feminina / Referência em si. Ao decorrer dos encontros, fui percebendo o quanto este assunto estava interessante e prazeroso. Muitos temas sobre o assunto foram discutidos no grupo e vários textos foram trabalhados, me proporcionando um entendimento melhor da sexualidade. Adorei participar dos encontros e foi de grande valia para o meu conhecimento e crescimento. Vale a pena conferir! Participe você também!” 
27 / feminino / Psicóloga
 Os Bioencontros me ofereceram a possibilidade, quase única, de poder parar, mesmo com tantas atribuições diárias ocupando minha mente, e refletir sobre minha sexualidade de forma ampla e desalienante. Deste modo, nos convida a aquisçãoo de uma mudança radical em nosso estilo de vida, difícil, no entanto, necessária e fundamental para o resgate de nosso bem estar físico, psíquico e social. 

Disciplina da UFMG: Por uma pedagogia do prazer

24 anos / Feminino / Estudante de Fí­sica
 São conteúdos que sempre escutei a minha avó falar, mas não dessa maneira, com princípios e fundamentados. Adorei esta experiência.Excelente didática, me espelhei nele em vários momentos em minhas aulas.Passei a observar e compreender certas coisas de maneira diferente, porém, ainda preciso colocar mais em prática.Na minha vida profissional, tento trabalhar gerando prazer e não alívio, da mesma forma tento fazer isso para meus alunos, ainda não consegui como quero realmente, mas estou tentando. 
28 anos / masculino / Segurança Pública
 Sem palavras para descrever. Só posso falar que foi bom e muito proveitoso o curso. Gostei bastante. Os conceitos aprendidos foram muito relevantes para minha forma de relacionr com a vida.  
34 anos / Masculino / Estudante de Fí­sica
 Quando me matriculei na disciplina não imaginava que abordaríamos tantos temas interessantes falados e aprensentados nas aulas. Quanto aos conceitos foram quase todos uma novidade para mim, nunca tinha parado para pensar ou mesmo fazer o que foi vivenciado nas aulas. 
25 anos / Masculino / Estudante de Física
 Os conteúdos trabalhados e os materias utilizados foram muito importantes para minha formação. Não senti falta de nehum conteúdo, mas acho que a disciplina poderia trazer pessoas convidadas além do Fábio. 
22 / Feminino / Estudante de Física
 Com o estudo da EMH pude fazer uma reflexão melhor sobre as ações que pratico e sobre as que me rodeiam e, a partir disso, modificar e repensar muitas atitudes tomadas por mim e ter uma outra visão em relação a algumas outras pessoas. 
21 / Feminino / Estudante de Pedagogia
 Os conceitos passados durante a discplina me possibilitou como futura pedagoga a ter novos olhares, ser mais orientada pela racionalidade humana, ter fé nos alunos, tratarem-nos como humanos e levar em conscideração o que eles sentem.Professor Leonardo, gostei muito do seu jeito de dar aula, o clima que você deixa a sala é fantástico, a sala fica com energia positiva depois das dinâmicas e brincadeiras para aliviar o que sentimos quando chegamos. Não foi nada cansativo, foram dinâmicas suas aula e como sabe perceber os alunos. (?)Energia Material Humana positiva, uma das percepções do corpo quando nos encontramos mais leve, doce e perfumado, muitas vezes ocorre depois de fazermos sexo, onde tudo é liberado e os sentidos se acalmam. Foi interessante conhecer esses conceitos que sentia mas não sabia dizer o que era.Na minha vida profissional sei que na sala de aula precisa haver uma troca com os alunos com respeito e carinho criando ambientes favoráveis para que o aluno consiga aprender.Cada aluno chega de uma forma, o professor deve se orientar pelos sentidos, ir além dos conceitos, tratar os alunos como humanos, mostrar que acredita neles. Chama atenção para voltar para a sabedoria humana. 
24 / Masculino / Jornalista e Estudante
 A disciplina me surpreendeu positivamente quanto ao conteúdo nela trabalhado. Na época da matrícula a mesma se apresentava com um nome cheio de estilo, mas com o passar do semestre ficou claro que não se tratava apenas de um nome bonito. 
48 anos / Feminino / Enfermeira
 Os princípios citados me fizeram ler e novamente me aproximar das disciplinas e pensadores que lidam com as emoções. 
28 anos / Feminino / Química
 Ao estudar este material e tentar fazer a prática em casa, percebi o quanto nós humanos estamos à mercê do mundo exterior, não nos preocupando com as nossos sentimentos, nossa vida interior, então houve uma precepção, um novo abrir para esta filosofia. 
23 anos / masculino / Estudante
 Em relação aos conteúdos e conceitos, tive uma grande dificuldade para compreende-los enquanto estudava sozinho, pois é uma visão completamente diferente daquilo que eu,como estudante, havia vivido. No entanto, com a dinâmica e a didatica do professor, pude compreender um pouco mais sobre o objeto de estudo, teorias de Riche e o livro do Fábio Madureira. A dinâmica de grupo favoreceu muito para o entendimento dos conceitos, possui muitas coisas que não são explicitadas. Nos textos lidos. a teoria da EMH causou uma grande pertubação no meu modo de pensar, pois ela possui um conjunto de ideias que não fazem parte daquilo que acredito, mas mesmo asim não posso ignorá-la, pois ela é justificada por vários fatos que não são facilmente explicáveis. Dessa forma, a teoria da EMH me fez pensar que não podemos ingnorar algo só por aquilo não fazer parte de nossas ideias, não se pode ignorar o desconhecido. 
24 anos / masculino / Estudante
 A Teoria da EMH me fez ver as coisas de uma perspectiva diferente e me deu condições de tratar situações que por mim eram tidas como insolúveis. 
25 anos / Feminino / Instrutora de Atividades Culturais e Educacionais
 O que o Fábio elucida é uma coisa que eu já acreditava, o ser humano tem cada vez mais se tornado um estranho para si mesmo e parece estar depositando suas esperanças em meios que o tem cegado ainda mais, portanto, confunde prazer e alívio, torna-se inconsciente e reproduz energia negativa. 
28 / Feminino / Estudante
 A disciplina me levou a refletir sobre questões cotidianas numa outra perspectiva. Conteúdos inovadores para uma mente engessada. Fundamentos dotados de uma lógica clara e objetiva, que faz total sentido, mas que encontra uma certa resistência em se fazer valer. Essa teoria me fez prestar mais atenção em mim. Hoje tento perceber o que meu corpo quer falar, através das suas reações. 
23 / Feminino / Estudante
  Os conteúdos propostos acabaram sendo um ponto positivo no meio das outras matérias "comuns". 
29 anos / Masculino / Agente de Correios
 Assim pude perceber que sou eu o sujeito da minha vida e que posso me tornar forte,mais homem, quando produzo a energia material humana positiva, mas se produzo a negativa, com certeza, terei constituído-me em um zé ninguém!  
24 / masculino / Estudante
 Algumas discussões foram complementos fundamentais de assuntos já discutidos nos estudos da psicanálise e psicologia, porém de maneira mais clara, mais direta, sobretudo em relação à compreensão de temas como vontade e desejo. 
21 / Masculino / Estudante de Comunicação
 Com o início das aulas, fui me interessando muito mais, pois apesar de ser uma área que não tem muita a ver com comunicação é um conhecimento que a gente pode e deve levar pra vida, então achei muito válida a disciplina, acreditei muito nas teorias e recomendo para todo mundo fazer. na minha opinião a metodologia foi ótima, as aulas expositivas eram muito explicativas e claras, com exemplificações que tornavam o entendimento mais fácil. As apresentações também foram boas, pois é interessante quando o aluno participa mais, reflete o que pensou. Quanto a rodada de lobosofia no início, ela era muito interessante porque a gente via o que acontecia com os outros e não ficava com medo de sentir as mesmas sensações.  
22 anos / Feminino / Estudante e Professora
 Para sentir prazer com nós mesmos é preciso fazer uma escolha entre as energias que vamos receber, cultivar e transmitir, tendo-se em vista que energia vive em ciclos. 
22 / Feminino / Estudante
 Com certeza serão aprendizagens que servirão não só para a profissão como para a vida; pois aprendi a procurar viver a vida com mais prazer, buscando contato com aquilo que sou, com a natureza e nas relações. 
25 anos / Feminino / Estagiária - Pedagogia
 Amei ter feito esta disciplina, acredito que o método que foi usado foi excelente. Cada grupo apresentar uma parte do livro me instigou a conhecê-lo e acabei lendo todo o livro e ainda estimulei meu namorado a ler, ele leu e gostou tanto, que hoje também pratica a lobosofia. 
31 / Masculino / Estudante de Matemática
 Inicialmente, eu fiquei com uma impressão um pouco preocupada sobre o tema, já que eu não tinha nenhum conhecimento a respeito dos assuntos, mas isso foi sendo esclarecido à medida em que as aulas foram acontecendo e através dos textos e seminários. 
28 anos / Feminino / Técnica de laboratório
 O professor Leonardo foi excelente! Explicações claras, dialogadas e com tranquilidade. Fez aprendermos de fato. Sempre percebia a "energia" da turma e tornou tudo mais prazeroso e alegre, 
26 / Masculino / Estudante de Fí­sica
 Algo inovador, de extrema utilidade para mim.Bem alternativa, envolvente, excelente!Eu aprendi como diferenciar o que me dá prazer ou alívio, e sei como escolher o prazer AGORA.Após conhecer esta teoria, procuro fazer com que minhas aulas sejam realmente prazerosas, levando a gerar energia positiva para mim e meus alunos. 
32 anos / MASCULINO / Bombeiro Militar
 Nesta disciplina foi possível conhecer conceitos, princípios e fundamentos completamente novos. Apesar de todos estarem presentes em nosso dia-a-dia, não é comum atinarmos para tais sinais. Com a apresentação da teoria da EMH, ficou mais palpável perceber estes sinais, pois no decoerer de cada dia absorvemos muitas vibrações e entre elas não há como selecionar somente as positivas. Com relação à didática dos professores, também foi uma surpresa, pois o mesmo nivelou-se com a turma e proporcionou um ambiente extremamente familiar e aconchegante, sendo possível ter uma interação mais íntima e calorosa com toda a turma. E claro com muito respeito e admiração aos colegas, à medida que íamos nos conhecendo. 
31 anos / Feminino / Estudante de Educação Fí­sica
 Achei o conteúdo muito interessante, apesar de diferente do que encontramos na graduação. Além disso, são fundamentos para minha formação como docente e já acho impossível não ter encontrado tal conteúdo em outras disciplinas. 
27 anos / Feminino / Estudante de Fí­sica
 A princípio não entendia muito bem o sentido/significado de EMH, mas a partir da leitura do livro, seminários e materiais complementares, a compreensão tornou-se mais clara; passei a entender melhor algumas vivências de infância e seus impactos/consequências na minha vida hoje. Através de exercícios e para casa solicitados pelo professor pude vivenciar a EMH na vida pessoal e profissional, isso me proporcionou uma melhora no meu relacionamento comigo e com os outrosao meu redor, compreendi mais certos comportamentos alheios. 
23 / Feminino / Auxiliar administrativo
 Os princípios e fundamentos são muito interessantes porque permitem-nos reviver e repensar eAchei o conteúdo da disciplina muito diferente de todas as matérias que já estudei até hoje, uma vez que ela se preocupa com a dimensão humana dos alunosxperiências e hábitos que temos. A didática dos professores é muito boa. Os assuntos eram discutidos de forma livre, possibilitando total interação dos alunos e a discussão era sempre levada para o âmbito da educação. 
30 anos / Feminino / Estudante de Matemática
 Achei muito interessante e diferenciado o livro do Fábio e com as dinâmicas e apresentações de trabalho em sala de aula, tornaram-se ainda mais completos e compreensivos os conteúdos apresentados.A didática apresentada foi diferenciada, onde nós, alunos, conseguimos nos expressar e aprender sobre nós mesmos. Foram aulas diferentes, alegres e repletas de aprendizado. Gostei muito do seminário e das discursões pós seminário.Interessante, porque muitos dos temas apresentados passavam despercebidos por mim. E um dos que mais me marcou foi a diferença entre o prazer e o alívio. Onde coisas que eu acreditava firmimente estar desfrutando de prazer, hoje enxergo como alívio. Passei a escutar mais os meus desejos e sentir realmente o prazer nas coisas que faço.Na minha vida profissional, passei a enxergar e distinguir melhor as minhas obrigações, onde consigo sentir prazer em exercer certa funções e alívio para outras. 
24 anos / Feminino / Têcnica em Quí­mica
 O tema principal da disciplina não era de todo desconhecido. Apesar de não conhecer a origem, já tinha um ideia da existência de uma energia negativa, principalmente, relacionada com o aparecimento de doenças. Mas nunca havia pensado sobre uma enrgia positiva. Discutimos alguns tópicos sobre a origem da energia material humana e o que ocorre com o ser humano quando está carregado de energia negativa, o que parece ser tendência. Me indentifiquei bastante com a questão da compulsão. Percebi que tenho compulsão por comida. Faço refeições de maneira rápida, sem degustar o alimento e muitas vezes sem estar com fome. Não sei se isso é apenas um acúmulo de energia negativa ou se não superei a fase oral. Se for a última opção, não indentifiquei uma forma de superá-la. Conhecer sobre a teoria da EMH fez com que eu buscasse não adquirir a energia negativa, se é que isso é possível. Acho que além de uma superação individual ela deve ocorrer coletivamente, pois viver em sociedade nos leva a cultivar certos hábitos que não nos fazem bem. Como discutido em sala de aula, a mulher buscou direitos iguais aos homens, sobretudo com relação ao direito de fazer sexo e sentir prazer, mas acho que nós precisamos é de lutar pelo direito de fazer se houver vontade de fazer, o que não acontece em muitas casas. 
22 / Masculino / Professor
 A disciplina é baseada em alguns conceitos bem diferentes do cotidiano tornando-a muito interessante. A didática foi muito produtiva e me inspirou a trabalhar de formas diferentes na sala de aula. 
22 anos / Masculino / Estudante de Educação Física
 Na minha visão a disciplina foi muito rica em apresentar os conceitos que o professor propôs. Acredito que a idéia da energia que nos foi apresentada será muito importante para a minha vida. 
22 / Feminino / Estudante de Filosofia
 Esta matéria me proporcionou um conhecimento que nunca tive oportunidade de conhecer antes. A sabedoria popular infelizmente, com sua desvalorização, é quase impossível falarem disso na universidade. mas o aprendizado a respeito da EMH abriu meus olhos quanto à questão de uma pedagogia que permita que o corpo fale e aprender com o coletivo e o conhecimento de cada um. Foi um modelo pedagógico que aprendi bem diferente dos demais, e as dinâmicas e vivências na sala de aula, provocaram, inicialmente um susto, mas ao desenrolar da disciplina foi ficando mais claro. Nunca tive contato com isso antes, achei, de início, uma teoria machista e um pouco pretenciosa demais, mesmo assim, por que não conhece-la? Por que não saber o que a sabedoria popular tem a dizer? Os textos da disciplina foram bons e creio não ter entendido 100% do conteúdo a respeito da EMH. Mas pequenas coisas consigo aplicar. Algumas das dinâmicas repito comigo mesma e quero fazer na sala de aula.  
21 anos / Feminino / Pedagogia
 Os conteúdos da disciplina foram surpreendentes a cada encontro, sempre algo, uma informação importante para entender todo o processo para se ter uma Pedagogia do Prazer. Aprendi com muito dos conceitos e princípios apresentados. Adquiri conhecimentos de grande importância para minha formação e também na minha vida pessoal.A forma como o professor conduziu as aulas possibiitou adentrar profundamente em cada conceito e princípio e, mais do que conhecê-lo na teoria, pudemos saber como é na prática.Outro ponto importante e que fez toda a diferença foi, a cada encontro, o professor tinha a preocupação de saber como estávamos chegando às aulas e, dependo da situação de cada um, criava uma dinâmica para despertar nossa energia positiva. Gostei muito e continue sendo esse professor especial, a educação precisa de mestre como vocês.Passei a me preocupar em evitar as energias negativas e criar maneiras de liberá-las sempre que possível.Pocurei não deixar que os problemas do trabalho se tornassem algo ruim, pesado, que provocassem tensões e mal estar. Tentei ao máximo adquirir bastante energia vital positiva e percebi que as coisas passaram a fluir melhor. 
23 / Feminino / Estudante
 Os conteúdos apresentados buscaram o entendimento de uma teoria cujos conceitos, além de inovadores diante de um paradigma simplificacionista e reducionista que ainda predomina no campo cientifico, tem pertinência, são bem fundamentados e possuem relevância social. 
23 anos / Feminino / Estudante de Matemática
 São lições e um 'manual' de como viver bem e tendo prazer na vida.Excelente forma de abordar os assuntos, interagir com a turma e nos deixar à vontade com o conteúdo e com os colegas.Me ajudou a ter uma visão mais crítica de como levo a vida e perceber aquilo que me faz bem para buscá-lo sempre.Ajudou a não me preonar por coisas que podem ser simples, mas que devido ao ambiente e a forma como direcionado se torna um peso e uma energia ruim. 
25 anos / masculino / Analista
 Começo esta avaliação já saudoso, como aprendi em nossos encontros, levo para a vida, em suas diversas instâncias ,um aprendizado enorme acerca de mim, do mundo à minha volta, de conceitos como "amor", "potência","zé ninguém" e tantas outras citações que, certamente, extrapolariam as páginas de um texto.Reivindico a parte 2 da disciplina para breve. Quantos aos itens acima solicitados, destaco os conteúdos e as dinâmicas, tornaram-me melhor e fizeram-me refletir grandemente. 
21 / Masculino / Estudante de Educação Física
 Pude enxergar que realmente esta energia está presente no meu dia a dia e que ela afeta minhas atividades diárias, seja ela energia positiva ou negativa. 
24 / Feminino / Estudante
 Todo o conteúdo da disciplina foi muito interessante pois abordou um tema, que para mim, não era muito conhecido. Os fundamentos serviram para a vida acadêmica e para toda a vida. Comecei a perceber melhor os momentos de prazer e de alívio. 
24 / feminino / Estudante
 A metodologia empregada na disciplina foi boa e atendeu às minhas expectativas, a forma como os temas foram debatidos foi consistente e coerente. A realização de seminários foi uma boa maneira de exploração de conteúdos. 
25 / Feminino / Estudante de Pedagogia
 Avalio a disciplina muito produtiva, conheci e vivenciei experiências novas durante todo o semestre, aprendi novos conceitos e conheci pessoas bacanas nas vivências em sala de aula.A didática do professor é muito compreensível e suas aulas fogem do tradicionalismo a que estamos impostos no meio acadêmico. A teoria da energia material humana me ajudou a me compreender e identificar minhas frustrações, até mesmo em minha vida profissional.Eu sempre acreditei na existência de energia ao nosso redor. Porém, com a disciplina pude ter uma noção real de como elas influenciam o nosso corpo e os outros sujeitos ao nosso redor.Enfim, gostei muito da disciplina e de tudo que que aprendi, pois foi novo para mim e ajudou a aprimorar minha visão de mundo. 
25 nos / Feminino / Estudante
 O que mais chamou atenção foi a diferença entre prazer e alívio, foi muito estranho perceber como atribuímos o prazer a coisas que são simplesmente alívio e como nossa vida é muito menos prazerosa do que pensávamos. 
22 / Feminino / Estudante
 A disciplina aborda princípios e conceitos interessantes que tecem um diálogo racional lógico e coerente com a sabedoria popular e conhecimentos científicos e religiosos. 
43 anos / Masculino / Estudante de Fí­sica
 Todo conteúdo da disciplina foi fundamental para o bom desenvolvimento da aula. Os conceitos, princípios e fundamentos em que se baseia o livro vai de encontro ao que eu particulamente tento aplicar em meu dia a dia. 
22 / feminino / Estudante
 Quanto à avaliação também gostei bastante do trabalho proposto, pois nos levou a refletir sobre as relações da teoria abordada no curso com a educação escolar, ao invés de já trazer essas relações explicitadas o que, do ponto de vista do aprendizado, é bastante positivo 

Disciplina sobre EMH na FaE/UFMG – 1º sem. 2013

31 / Feminino / Estudante de pedagogia
 O curso ensinou-me a enxergar de maneira diferente e positiva o cotidiano, referente à Pedagogia, pois, nas escolas enfrentamos vários tipos de situações, umas agradáveis e outras não. E para isso devemos sempre cultivar as virtudes: energia material humana positiva. O livro indicado "Racionalidade da Sabedoria Popular:energia material humana e sexualidade", de Fábio Madureira, ensina a nos desvestirmos de nossos preconceitos e lidarmos com o outro de maneira melhor, e regatarmos as atitudes simples do cotidiano.As aulas foram interessantes e descontraídas. Indico essa disciplina para várias pessoas, pois ela nos ensina a tornar o conhecimento mais prazeroso. 
23 anos / Feminino / Pedagoga
 A disciplina, "Por uma Pedagogia do Prazer" foi muito interessante por nos convidar a repensar o nosso próprio corpo frente à reprodução da vida, à energia e ao natural. Como citado nas aulas, a correria do dia a dia acaba por nos condicionar a fazer certas coisas que não nos proporcionam prazer. Através da disciplina foi possível compreender o significado de alívio e prazer, para o que foram inúmeros conhecimentos compartilhados. Outro ponto a destacar são as dinâmicas, que proporcionaram uma interação de todos na turma. Enfim, a disciplina possibilitou a todos prazer em participar e não tenho nenhuma crítica negativa a fazer, de forma a indicá-la a amigos e conhecidos. 
25 anos / Feminino / Pedagoga
 Durante esses quatro meses de aula, muitos foram os fatores que me fizeram ver a pedagogia de outros modos. Saímos da rotina de leituras e mais leituras para (re) descobrir práticas/ações que foram exterminadas por nós mesmos e pela sociedade.Algo que me chamou muito a atenção foram os relatos do professor Fábio, (a prática da lobosofia que eliminou o mal cheiro e a carga de energia material humana negativa). Gostei de ver a turma mista, alunos de Pedagogia, Física, Engenharia, Biologia e como com essa variação foi possível estabelecer-se um diálogo mais objetivo, com diferentes ideias.Enfim, gostei muito da disciplina, do professor, dos colegas e recomendei-a para colegas.  

Disciplina UFMG 2015 1º sem.

25 anos / Feminino / Professora (cursa pedagogia)
 A ementa da disciplina é pouco clara sobre os conteúdos abordados. Os conceitos e fundamentos da teoria em questão são suficientemente trabalhados. Talvez alterações na ordem dos conteúdos possam favorecer a compreensão dos temas em questão.As exposições foram claras, o material estudado é adequado e pertiente, as vivências foram enriquecedoras e bem conduzidas. 
21 anos / Masculino / Estudante de Física
 Os conceitos abordados tanto no livro quanto nos debates e temas tragos pelo professor são interessantes e ajudam na compreensão da nossa vida e nos traz uma reflexão sobre como agir e do que é importante em nossa profissão futura e no nosso dia-a-dia.A didatica do nosso professor foi excelente, mostrou-se uma grande pessoa e grande profissional, soube passar o conhecimento e a matéria de maneira bastante satisfatória, e sempre demonstrou interesse sobre nossas emoções, nosso dia-a-dia, sempre disposto a nos auxiliar quando preciso. 
31 anos / Feminino / Analista de ICMS Patrimônio Cultural (serv. público)
 A conceituação do que ja era conhecido pela sabedoria popular em EMH, ou seja, que todo hábito humano se torna matéria, trouxe uma reflexão grandiosa acerca daquilo que estamos fazendo para nós mesmos e o que estamos fazedo para o mundo. Os princípios de sexualidade e religiosidade trazidos para esta lógica da energia também foram bastante instigantes, confusos em certos momentos e até polêmicos por sua própria natureza. O fato é que nos tiraram do "berço esplêndido" de associar somente fatores externos como responsáveis por nossos males e nos fez repensar sobre como nossas ações se refletem em nós mesmos.A didática utilizada foi condizente com a proposta de estudo. Foi leve e prazerosa, bastante baseada em reflexão, diálogo e trocas físicas e intelectuais com o grupo. Gostei muito! E a vinda do convidado e autor do livro ajudou no esclareciemnto de muitos aspectos. Só não gostei que a única base de reflexão foi o livro. 
33 anos / Masculino / Téc. Manutenção
 Achei o conteúdo bastante interessante. Ainda não havia pensado no meu modo de viver com enfoque em energias positivas e negativas. Penso que foi proveitoso e alguns argumentos no âmbito das energias positivas e negativas fizeram muito sentido em coisas que já vivenciei e ainda vivencio. A única coisa que não fez sentido para mim foi o enfoque "criacionista" de explicar algumas ideias no livro do Fábio Madureira. No meu entendimento algumas explicações no livro fizeram sentido para quem acredita em Deus.Em relação à didática foi uma das duas melhroes que já pude viver durante todo esse tempo que estou na UFMG. O Leo é bastante aberto a discussões e tem muita clareza do quanto é difícil a vida do estudante da UFMG. O que mais gostei foi das vivências realizadas em sala de aula que no início eram bastante difíceis para mim, mas com o tempo me acostumei e interagi mais com meus colegas. Faria outras disciplinas com o Leo se pudesse. 
26 / Masculino / Estudante de Educação Física
 Os conceitos são bem amplos e, às vezes, complexos, porém de grande importância para se repensar a forma de educar, coloca o fazer docente numa outra perspectiva que considere o outro, suas vontades, anseios, dificuldades, trabalhando com as energias individuais e coletivas. A fundamentação teórica, baseada no livro de Fábio Madureira é muito rica e permite extrair vários conhecimentos e relações para serem dialogadas com a educação.O professor sempre demonstra cuidado, afeto e responsabilidade em todas as suas ações e considera o outro como está, seus sentimentos e suas dimensões psico-físicas. O diálogo estabelecido permite a troca de saberes, e a maneira com que conduz a disciplina contempla o aprendizado de todos os alunos, pois não é algo imposto ou sem combinados, enfim, a didática do professor é positiva, íntegra e acolhe a todos os estudantes. 
18 anos / Feminino / Estudante de Educação Fí­sica
 A disciplina ( por uma pedagogia do prazer) tem como principal fundamento a pesquisa e busca por uma educação mais humana e horizontal, que ajuda não somente o educador a identificar na criança uma compreensão dos seus comportamentos e procurar ajudá-la, como tambem um auto conhecimento, como se a educação começasse de dentro do educador, sua própria saúde.O ministrante da aula optou por fazer uma aula com vários elementos, aulas práticas, dinâmicas, expositivas, formentou discussões e escutou análises pessoais sobre vários conceitos. Adotou uma aula com participação ativa dos estudantes, sempre abordando e incentivando as reflexões dos alunos. 
40 anos / Masculino / Professor de Educação básica
 Considero os conteúdos da disciplina muito bons. Achei interessante o livro do curso e sua teoria.A didática do professor Leonardo é ótima. Ele sempre se mostra competente, confiante, amigo e sempre soube transformar suas aulas em agradáveis experiências. Foram muito boas as aulas. 

Disciplina UFMG 2016 1º sem.

24 / Masculino / Estudante
 Fazer essa disciplina foi tototalmente diferente das outras, relacionadas ao meu curso.Foi literalmente, um ponto fora da curva em um gráfico. Acredito que isso foi benéfico, pois que saí da minha rotina acadêmica. Um fator que contribuiu foi o fato das brincadeiras e exercícios se assemelharem aos exercícios que fiz quando frequentei um curso de teatro.As dinâmicas e práticas apresentadas na disciplina são muito boas, de modo a melhorar a relação (de todos os modos) com as pessoas e consigo mesmo. 
27 / Feminino / Professora
 TEMH: Poesofia de Agradecimento Mariana Silva Mendes E essa disciplina:Por uma Pedagogia do prazer...Valeu para alguma coisa?A meu ver, para crescer... Estudar sobre a energia,A positiva, a vital,Que se não for bem trabalhadaSe transforma na mortal,Foi importante para repensarNo modo de levar a vida, na realMuitas vezes esquecidaNo intuito de alcançar um ideal. Começamos a partir dos cinco sentidosOlhos, mãos, língua, nariz e ouvidos.Que aula estranha! Que proposta absurda!Lamber meu colega?Que coisa mais churda! Vamos ver no que é que dá...Se é o amor que modifica,Que transforma e edifica,Se ele afeta tanto a mim,Também te transformaráE a matéria que hoje somosOutra matéria será. As vivências e experiênciasNessas aulas realizadasPermitiram a entregaPara o outro ser o guiaNós éramos a matériaEm movimento de troca de energia. Tudo isso se completouNa matéria da segunda-feiraTeoria de Reich, que como todas as outrasSe estudada sozinha fica sem eira nem beira. Foi importante questionarpra tentar desconstruirMudanças, contraposições,O caos pra reconstruir. Nesse meio do caminhoHavia um professorQue dizia que tudo podePor meio do amor. Eu, não tão otimista,Não acredito só nisso.O amor é fundamental,Mas sozinho é rumo ao abisso. Tudo isso foi importantePara meu próprio crescimentoEspiritual e atitudinalVivenciando um novo momento. A proposta das disciplinasForam sensacionaisPor meio delas foi possívelRepensar os atos profissionais. Espero nessa tentativaDe falar pela poesofiaExplicar como foi pra mimAs sensações de cenestesia. Nessa perspectivaQuero ser uma sementeQue lançada ao mundoPossa ser uma crescenteDe emoções positivase transformação de energiaQue nas trocas eu possaSer prosa e poesia Sendo vida nas açõesBuscando a energia vitalFazendo desse o caminhoDa magia essencial. Voltando sempre às raízesDa sabedoria popularQue desde cedo me ensinouDa natureza não desdenharUma vez que vim da terraE à terra irei voltar. Na minha vida quero parceirosDe muito amor e lealdadePra estabelecer uma conexãoQue vai da vida à eternidadePra equilibrar as energiasEm uma relação de igualdade. Agora pra terminar falando do aprendizadoÉ preciso falar da subjetividadeFoi tudo bem elaborado e planejadoMas da minha parte houve reciprocidade. Para as próximas turmas,Se houver alguma divergênciaÉ importante que ambas as partesDesenvolvam a resiliência. A resiliência é como a energiaA primeira transforma a maneira de agirperante uma situaçãoJá a segunda, dependendo de como táAltera a percepção. Se a energia tiver negativaTudo que ela gera é ruimNo entanto, se for positivaA vida vira um eterno quindim! Doce, oleosa, perfumosa e calorosaSão características da energia vitalBora fazer da vidaUma transformação radicalPara que essa energiaSeja sempre primordial. Por aqui vou me encerrandoTerminando sem demora.Ao professor Leonardo JeberUma grande gratidão, um abraçoe até outra hora! Junho/2016 
23 / Feminino / Funcionária Pública
 O conteúdo foi muito novo e complexo pra mim no começo das aulas, no decorrer do semestre compreendi mais sobre as teorias abordadas. Não ficou tudo claro, mas minha compreeensão sobre o assunto abordado melhorou.  
22 / Masculino / Assistente Administrativo da Policia Militar MG
 O conteúdo da disciplina foi condizente com o tema proposta (Pedagogia do Prazer). A disciplina se baseou no livro ' Racionalidade da Sabedoria Poular" de G . Fábio Madureira, que fala sobre a importância da EMH em nossas vidas. Em sala de aula fomos capazes de aliar o conteúdo do livro á prática da pedagogia. 
33 / Feminino / Analista de Sistemas
 No primeiro contato com esta disciplina,confesso que senti um pouco de estranhesa, pois ter que tocar pessoas que não conheço e que não tenho intimidade foi, no início,constrangedor. Mas no final de cada aula, me sentia com as energias renovadas, chegava na aula cansada e saia cheia de energia boa, feliz e em paz. Assim em todos os conteúdos desta disciplina eu avalio como excelente, acredito e defendo a sabedoria popular, então para mim as aulas foram realmente prazerosas. 
42 / Masculino / Técnico Eletrônica
 O estudo baseado no livro " Racionalidade da Sabedoria Popular", foi muito bom e interessante. Certos conceitos me ajudaram a definir o que é uma coisa e o que é outra, por exemplo, o alívio e prazer.Outras questões precisam de um um tempo maior de estudo para compreeender seu verdadeiro poder, como o de conseguir aterrar a energia negativa de uma pessoa. 
28 / Masculino / Professor
 Eu avalio os conceitos, princípios e fundamentos dos conteúdos trabalhados como construtivos e proveitosos, pois pude aprender coisas novas, me aprofundar melhor em alguns princípios e fundamentos, também conhecer uma nova visão em relação a alguns conceitos como pecado, prazer e energia. 

Disciplina UFMG 2016 2° sem

44 / Masculino / Professor
 A disciplina surpreendeu pela imensa capacidade de síntese do livro de referência .E também pela possiblidade de aprofundamento pelos livros indicados na bibliografia. Conteúdos essenciais para a vida de todo ser humano, principalmente para os professores.A didática foi bem democrática . Houve espaço para diversas formas. Possibilidade de participação de todos de forma ativa na troca e busca pelo conhecimento. Superou as expectativas. 
22 / Masculino / Estudante De Quí­mica
 O conteúdo trabalhado pelo disciplina foi bom e interessante. Eu nunca tinha estudado nada relacionado à energia material humana, sendo um assunto fundamental para nossa vivência no dia a dia.A didática utilizada pelo professor foi muito apropriada, pois em muito dos assuntos ele nos deu a oportunidade de apresentar um seminário sobre o mesmo e sempre completava algo. A utilização de poesofias também foi envolvente. 
60 / Masculino / Professor de Matemática
 Muito Instigante a proposta da disciplina de levar o público a criticar a postura muito sedimentada nos hábitos, dados como absolutos, sem uma faísca de dúvidas. Inicialmente fiquei inquieto por não perceber o vínculo entre este sistema de saber hegemônico e as energias mortais advindas de uma relação desequilibrada.Gostei muito, por ser mais aberta à participação, dando liberdade para a construção de ambiente propício à floração do pensamento do esclarecimento, tudo isso intercalado com a ajuda necessária, da experiência dos professores. 
22 / Masculino / Estudante De Matemática
 Os conteúdos, conceitos princípios e fundamentos não poderiam ser melhores. A disciplina realmetne me surpreendeu de verdade, além de agregar conteúdo para a vida, a dinâmicana da sala de aula é de- mais, pois é difícil você ver uma disciplina onde os slunos fazem uma roda e começam a discutir, opinar sobre o tópico apresentado pelo professor. Irei recomendar a disciplina a todos os meus amigos com certeza.Eu avalio a didática do professor como sendo mais do que satisfatória, professor sempre atento e solícito, divertido e preocupado em sempre deixar a aula prazerosa, com certeza irei fazer outra matéria com o professor. 
20 / Masculino / Estudante De Quí­mica
 Penso que a explicitação de certos conceitos no curso, assim como sua contextualização seja a nível histórico ou dentro de uma corrente ou pensamento, poderia ser feito com maior cuidado.A impressão que tive foi que certas vezes conceitos de diferentes áreas do conhecimento científico,assim como expressões da dita sabedora popular se misturavam sem haver uma maior determinação no que tange ao sentido e significado de cada um. Apesar disto, o conteúdo da disciplina foi bem ministrado, desenvolvido e conseguiu atingir o objetivo de apresentar um novo paradigma para se pensar a educação nas escolas, qual seja, a partir do prazer. Os fundamentos da teoria deste novo paradigma. penso, foram bem debatidos em sala e analisados no cotidiano dos alunos.A didática do professor foi boa em dividir os temas tratados no livro do qual foi objetivo de discussão da disciplina em seminários planejados pelos alunos. Como se trata de uma sala com alunos de diferentes cursos da universidade, os seminários foram boas oportunidades de troca de experiências e saberes, além de proporcuionar maior interatividade dos alunos. As reflexões feitas sobre as poesofias levadas pelo professor foram ricas pois melhor relacionava a teoria com o outro nível de abstração, desta vez poética, que permitia conectar temas do cotidiano, da sabedoria popular com o que estava sendo proposto pela teoria do prazer. 
28 / Masculino / Servidor Público
 O conteúdo é instigante pois se propõe a fundamentar uma perspectiva que apela para algo além do materialismo e tecnicismo científico tão caros ao saber hegemônico. As instituições que apontam para seus fundamentos se mostram coerentes, todavia, me parece necessário tornar mais detalhada a forma como os conceitos e princípios são formulados, de forma a ter clareza sobre seu ancoramento, e afetar a sensação de salto na fudamentação do raciocínio.A didática se mostrou bastante fecunda,no sentido de haver proporcionado grande abertura à participação dos docentes, contato direto com o autor e debate a partir da leitura dos colegas no seminário. 
25 / Masculino / Estudante De Educação Fí­sica
 Os conceitos deEMH , fusão/ fissão genital, diferença entre prezer/alívio são muito importantes para nossa vida. É uma matéria que indica o caminho a ser seguido para toda a vida.Tanto o Leonardo quanto o Fábio sabem explicar de uma maneira de fácil entendimento. 
23 / Feminino / Estudante De Quí­mica
 Ao me matricular na disciplina tinha uma outra visão em relação à disciplina, principalmente se comparado o nome da disciplina com o que foi passado. Mas o conteúdo apresentado foi interessante e inusitado.O professor apresenta uma ótima didática, tanto com mas práticas quanto com os conteúdos. 
42 / Masculino / Estudante De Fí­sica
 Conteúdo bom. Aulas muito dinâmicas e envolventes. Teoria e conteúdo baseadosno livro do Fábio, que nos ensinou temas do cotidiano difíceis de serem compreendidos. Tudo bem explicado.Muito boa. Interação aluno e professor, muito dinâmica. 
21 / Feminino / Estudante De Matemática
 Gostei do modo como a disciplina diferencia alívio de prazer, e gostei de ter aprendido o conceito de energia vital e mortal e a influência na nossa vida.Gostei muito do método usado pelo professor Leo, nunca havia visto um professor que se importa-se tanto com o bem estar do aluno. 
35 / Masculino / Estudante De Fí­sica
 Os temas abordados na disciplina me surpreenderam positivamente, uma vez que esses não sao abordados dentro da educação acadêmica predominante. Cabe ressaltar que o conteúdo das aulas e livro -texto que mais gostei foram os relacionados às fases biológicas e autoregulação, além de ter gerado o interesse em conhecer a teoria de Reich através da leitura dos livros e me matricular nessa matéria.Muito boa, clareza e segurança na condução teórica divercidade de recursos didáticos com práticas orientadas, poemas, texto, bem selecionados.Isso faz as aulas menos cansativas , interessantes e dinâmicas.Além do excelente ambiente de harmonia, discussões saudáveis, criado pelo carisma e competência do profissional. 

Disciplina UFMG 2017 1º sem.

24 anos / Feminino / Estudante De Educação Física
 Interessante como foi planejado durante todo o semestre, da forma que cativou os alunos com o passar do tempo, vi como uma terapia em conjunto. Me ajudou muito a entender e compreender diversos fatores simples do dia-a-dia.Achei muito interessante a maneira que começava a ministrar as aulas pois havia um contato com o próximo que normalmente nem percebemos. 
28/ / Feminino / Estudante de Pedagogia/Ass Administrativa
 O conteúdo da disciplina foi muito importante na minha formação humana.Vivemos em um momento em que o stress tecnológico, o senso de urgência, competitividade , a valorização do ter, a busca pelo prazer a qualquer custo, tem sido o motor que impulsiona nossa vida. Avançamos muito sobre átomos e planetas que nunca pisaremos, mas em contrapartida estamos cada vez mais distantes dos solos da nossa própria vida, muitas vezes não temos consciência das nossas próprias experiências mais íntimas, como medo, sonhos, ousadias ...A disciplina fez com que eu parasse para compreender como é necessário trazer para nossa essência o conceito de EMH e o impacto que ela tem sobre nossa vida motora, perceptiva, cognitiva,intelectiva, afetiva e espiritual.Um aspecto muito relevante para mim foi a necessidade que temos de liberação de EMH(-) pois nunca havia me questionado sobre isso.Gostei muito da maneira com que o professor expôs os conteúdos que iríamos trabalhar ao longo do semestre. Gosto muito de seminários, pois permite a participação de todos com diferentes pontos de vista, com linguagens variadas o que torna as aulas dinâmicas. 
18 / Feminino / Estudante De Matemática
 A disciplina foi muito interessante para mim pois me fez ficar mais atenta quanto às reações corporais e influência da EMH no nosso cotidiano. Me fez refletir também sobre minha sexualidade e o que posso fazer para melhorá- la.Uma crítica construtiva que posso fazer, seria aplicar melhor os conceitos no âmbito escolar, pois já que é uma matéria da FAE, senti falta dessa parte.Leo tem um ótimo jeito de lidar com os alunos e fazer com que fiquemos á vontade em sala desde os primeiros encontros. Como foi minha primeira matéria na FAE, fiquei muito "assustada" no início com a forma de avaliação e com o decorrer da aula. Mas aos poucos me adaptei ao estilo das aulas e resolvi entrar no clima, e a didática amiga do Leo me ajudou.Fábio: Não gostei, das apresentações do Fábio. Não achei que esclareceram minhas dúvidas sobre E.M.H. Além do mais, acho que ele fala muito convicto sobre suas opiniões sem provas mais concretas. 
20 / Feminino / Estudante De Educação Física
 Muitos dos conteúdos são abstratos e geram muita dificuldade de compreensão, mas gostei da matéria, pós questionamentos que não havia em minha mente, os quais ajudaram a entender outras coisas pessoais.Muito bom, bom formato de aula, seminários e palestrante de fora. Gostei de ter uma palestra do escritor do livro estudado na disciplina.(Fábio) 
22 / Feminino / Estudante De Fí­sica/Professsora
 Os conceitos, princípios e fundamentos trouxeram novas formas ou conhecimentos, permitindo um melhor auto-conhecimento e aperfeçoando a forma com que podemos observar o meio ao redor.A didática foi ótima, muitas vezes trazendo a memória das primeiras etapas escolares, com as dinâmicas que de uma certa forma renovavam a EMH positiva por trazer reflexões. 
23 / Feminino / Estudante de Letras/Professora
 O contúdo da disciplina promove reflexões sobre conceitos até então vistos e divulgados diariamanete, no entanto damos pouca atenção, além disso foram introduzidos conceitos que ampliaram meu conhecimento e que serão de extrema importância para minha vida pessoal e profissional.O professor possui vasto conhecimento sobre vários conteúdos e ao utilizá-lo em sala de aula faz com que a absorção do conteúdo se torne mais prazerosa e produtiva. 
21 / Feminino / Estudante De Fí­sica/Técnica Equipamentos Biomédicos
 Acredito que o conteúdo é inovador , pelo menos para mim. Por mais que, através da sabedoria popular que carrego comigo, já conhecesse a 'energia humana', não a conhecia tão profundamente A didática foi excelente, proporcionou interação com os alunos e aprendizagem do conteúdo de maneira leve. 
Masculino / Estudante Física/ Professor
 O contúdo da disciplina era totalmente inédito ao começo da disciplina, depois de uns 5 encontros começei a entender a prosposta do Fábio, autor da (EMH). Acredito que muitas ideias são muito pertinentes e importantes para se discutir num curso de licenciatura , pois ao expor a TEMH, investigam como as relações humanas podem ser afetadas.Muito boa! Em uma escala entre 0-10, avaliaria entre 8-9. As explicações eram sempre muito acessíveis com ritmo agradável e vocabulário claro. A empatia do professor Leonardo é muito convidativa para as discussões propostas ao longo da disciplina. Recomendária (como de fato já recomendei.) a disciplina e o professor a outras pessoas. 
24 anos / Masculino / Estudante De Matemática
 Avalio o conteúdo como excelente, um conceito muito bom da sabedoria popular e muito bem fundamentada na energia material humana.Didática do professor é excelente, deixa sempre os alunos muito a vontade, sobre dialogar com a turma, levanta questóes pars discussão, sabe entreter a turma. 

Disciplina UFMG 2017 2° sem

20 anos / Feminino / Matemática
 Os estudos realizados pelo G. Fabio Madureira, baseados nas teorias de Wilhelm Reich, foram muito benéficos ao meu aprendizado. Me fez refletir sobre a importância da sabedoria popular e também sobre uma sexualidade saudável. Aprendi muito sobre o fluxo de energia em nossos corpos e como isso é refletido às pessoas à nossa volta. Foi surpreendente estudar a teoria da Energia Material Humana, a importância do real prazer e como ele reflete de forma direta em todos os âmbitos de nossas vidas, inclusive na formação do caráter. Questionar a respeito de quem sou, como ajo e como lido com as regras impostas pela sociedade foi magnífico. Com certeza o livro “Escuta Zé Ninguém” foi e continua sendo muito marcante. Refletir em poesofias que, em poucas palavras, expressam grandes conhecimentos e sabedoria, foi incrível. Aprender a praticar o que foi estudado em prol de viver uma vida em plenitude, valorizando a Deus, a natureza, tendo prazer não somente nas conquistas, mas também na caminhada, foi sensacional. Saber que poderemos levar esse conhecimento e essas experiências para a sala de aula é muito gratificante. Cada aula foi produtiva e transformadora pra mim. Embora em certos momentos os conteúdos do livro “Racionalidade da sabedoria popular” tenham transmitido a sensação de ter um caráter um pouco machista, ele apresenta bons conteúdos para estudo, reflexão e debates. Sair do convencional dentro de uma sala de aula foi fascinante. Além de bom, diria que foi muito divertido, em diversos momentos. Chegar para aula cansada, preocupada, ansiosa e angustiada, e, ao término da aula, estar me sentindo leve, tranquila e disposta foi, sem dúvida, uma experiência maravilhosa. A forma que as cadeiras ficam dispostas (geralmente em círculos), a maneira participativa de expor os conteúdos, as vivências ao longo da aula, o modo de nos fazer questionar a nós mesmos, com certeza favoreceu muito aprendizado e a fixação do conhecimento. Com certeza foi uma ótima experiência que me tornará uma pedagoga melhor. 
Masculino / Ciências Biológicas
 O Conteúdo foi dado de forma dinâmica e simples o que facilitou muito a aprendizagem, a forma do professor separar os temas por apresentação de seminários foi bem interessante pois víamos como o outro entendeu o conteúdo. As discussões foram bem interessante pois a disciplina agregou varias pessoas de diferentes áreas do conhecimento. A didática foi bem interessante pois o tema que todos estudamos foram apresentados por grupos de diferentes áreas, o que na minha opinião foi bem enriquecedor . 
23 anos / Masculino / Matemática
 Tendo como ponto de vista até o momento a disciplina tratou conhecimento específico ao decorrer do semestre como alguns conceitos que não tinha vivenciado ainda em minha vida. Além disso, a disciplina trouxe valores, princípios, possibilidades de conhecimento, recuperando a dimensão da energia ao conceito de matéria, também chamada de Energia Material Humana. Princípios e fundamentos sobre a criação de condições teóricas para a construção de um novo sentido da lógica do medo e do alívio, valorização dos sentidos como fonte de sabedoria e prazer.A pedagogia do prazer está relacionando à educação lúdica, em que o prazer é o primeiro e o mais importante polo. A disciplina nos permitiu descobrir integralmente como somos pessoas livres, autônomas, competentes, responsáveis, etc.O professor tem conhecimento dos temas abordados em sala de aula, tem habilidades de interpretação, análise, levantamento de hipóteses, organização de dados e explicação. tem equilíbrio na participação do alunos, reserva tempo para respostas, interage com a turma, entre outros. 
24 anos / Feminino / Ciências Biológicas (licenciatura)
 A disciplina aborda muitos conceitos novos que tornaram as discussões muito interessantes e agradáveis. A oportunidade de discutir esses diversos conceitos com vários outros alunos de outros cursos foi muito enriquecedor para a minha formação, não só como profissional mas, também como um amadurecimento pessoal. Porém, alguns conceitos do livro indicado como bibliografia para a disciplina como “ feminino submisso” foram de certa forma vistos como preconceituosos aos olhos de alguns alunos. Eu, do contrario, não compreendi dessa forma. Mas talvez, seja necessária uma maior discussão acerca desse tipo de conceito do livro. 
Masculino / Educação Física Escolar
 O conteúdo do livro que serve como material para a disciplina é interessante e traz novas possibilidades para que as pessoas se conheçam melhor corporalmente e que tenham um olhar mais crítico para a situação pela qual nossa sociedade passa. Porém, alguns trechos espalhados pelo livro dificultam às vezes a compreensão, o que deixa o leitor um pouco perdido.A didática utilizada me agradou, acho que o ambiente da sala sempre foi um ambiente aberto a discussões de diferentes pontos de vista, permitindo que aqueles que não acreditam possam se expressar livremente. 
21 anos / Feminino / Ciências Biológicas- Licenciatura
 Considero muitíssimo importantes os temas trabalhados ao longo da disciplina. Assuntos, esses, que não temos uma oportunidade frequente de conversar e discutir a respeito devido ao modelo cientificista e materialista que predomina em nossas relações atualmente. Infelizmente, por vezes, negligenciamos que “o essencial é invisível aos olhos”. Assim, sou grata pelos momentos em que tivemos, em grupo, discussões e ponderações a respeito do prazer e do alívio, da energia material humana e de como nossos direcionamentos e experiências diárias influenciam nesse fluxo energético inerente à vida, sobre a sexualidade, incluindo a potência orgástica, a fusão x fissão, a respeito das fases biológicas e seus reflexos no indivíduo já adulto, entre outros temas, que no momento não me recordo de prontidão, mas, certamente, estão semeados aqui dentro e poderão fruir futuramente. Agradeço pela metodologia formadora e não informativa-dogmática abordada pelo professor. As dinâmicas e rodas de conversa são importantes para o protagonismo do educando ao longo do curso. Sinto que o espaço para as elaborações individuais e coletivas a respeito do conteúdo foi muito satisfatório.  
30 anos / Masculino / Matemática Licenciatura
 A disciplina mostra um conceito alternativo para a dimensão da Bioenergia, fundamentando e conceituando a Energia Material Humana. Apesar dos conceitos serem fundamentadas em uma teoria de um psicanalista famoso Wilhelm Reich, a aceitação desse conteúdo é muito subjetivo, pois alguns alunos se identificam mais que os outros. Desta maneira, conforme são explicados e expostos os conteúdos, princípios e fundamentos, acaba gerando conflitos na sala de aula. Acredito que para estudar essa matéria o aluno tenha que abrir seus horizontes para novos conhecimentos se desfazendo das suas amarras. O professor apresenta uma boa didática, mostrando um bom domínio do conteúdo, as aulas têm dinâmicas diferentes para cada conteúdo proposto por ele, isso vai da simples arrumação da sala de aula até dinâmicas realizada pela turma. Transmite o conteúdo das aulas de forma clara e coesa, tentando sempre que possível exemplificar as situações propostas e também mostra interesse com o desenvolvimento dos alunos e também sempre está disposto a sanar as dúvidas que aparecem durante a aula ou fora dela. 
Feminino / Matemática
 Todo o conteúdo aplicado durante o curso foi bastante interessante, passei a ter uma visão diferente das coisas, a disciplina abre a nossa visão para as coisas que nos cerca, no início não posso negar que eu achava tudo aquilo um pouco viajado mas hoje consigo entender o que o professor estava querendo mostrar para nós. Em relação à didática do professor no início achei um pouco estranho, pois é totalmente diferente com o que estou acostumada no prédio onde eu estudo. Com o passar das aulas pude perceber o quanto essa forma de ensinar fazia com que os alunos se interagissem nas aulas, hoje posso afirmar que a didática que ele utiliza é muito boa. 
23 anos / Feminino / Matemática
 O conteúdo era muito novo no começo da disciplina, depois comecei a entender melhor a ideia do livro e acredito que são assuntos interessantes de discutir visto que vamos trabalhar com crianças e adolescentes. Excelente, o professor faz rodas de conversas e isso deixa todos muito a vontade em participar das discussões. 
34 anos / Masculino / Matemática Licenciatura
 Poderia enfatizar mais os conceitos de Wilhelm Reich e fixar menos a atenção no livro do autor Fabio Madureira. Acredito que os conceitos de Reich nas dimensões social, cultural, e de comportamento humano devam ser mais seguras pelo fato de ser um homem bem vergado nos problemas do homem e suas mazelas. As abordagens de Fábio Madureira me pareceram, por vezes, um pouco místicas, ou com resquícios disso. Talvez não místicas, mas não muito prováveis, ou mesmos não muito compreensíveis por não serem, mesmo que relativamente, constatáveis. Foi uma didática profissional e tranquila. Explanação bem clara acerca dos assuntos e seus aspectos na vida do dia a dia. Leituras de textos acerca da teoria de Wilhelm Reich bem abordados e atividades bem condicionadas. Propostas de atividades em grupos, e apresentações de temas por grupos bem abordadas. 
22 anos / Feminino / Física Licenciatura
 Vinda de um curso de exatas, nessa disciplina me deparei com conceitos e fundamentos extremamente diferentes do que estudei ao longo de toda minha formação acadêmica. Nesse sentido, achei os conteúdos desenvolvidos pela disciplina muito interessantes e relevantes para a construção de um professor. Para assumir tal profissão, é necessário se permitir conhecer novas ciências, aprender novos saberes e tirar deles o que for proveitoso para a posição de educador. O professor apresentou profissionalismo suficiente para apresentar o conteúdo da disciplina mantendo o respeito à opinião individual de cada aluno. Além disso, ele demonstrou conhecimento sobre o conteúdo, sendo capaz de transmiti-lo de maneira clara, interessante e permitindo a discussão sobre os assuntos. 
26 anos / Masculino / Licenciatura em Química
  Foi tudo muito novo para mim, alguns conceitos, princípios e fundamentos achei muito subjetivos porque ao meu ver tem muito a questão do “felling” (sentir). Gostei da maneira como o professor regeu as aulas sempre conversando e olhando nos olhos, aberto às perguntas, questionamentos e fazendo boas ponderações durante as apresentações dos trabalhos. 

Grupo do Amor Verdadeiro – Prefeitura BH/MG/CRAS

49 anos / Feminino / Sócia e Proprietária (Padaria)
 A oficina foi muito boa e importante para o nosso auto-conhecimento. Me fez olhar para dentro de mim e chamou-me atenção foi a energia vital. Vou procurar mudar e indicar a oficina para outras mulheres e minhas filhas. 
82 anos / Feminino / Do Lar
 Foi muito bom, eu gostei muito, quero que continue, pena que vou embora. Aprendi a gostar mais da minha família. 
43 anos / Feminino / Do Lar
 Achei diferente das coisas que já tinha visto.Conhecer a teoria da EMH melhorou mais pela curiosidade na minha vida.O que me chamou atenção foi o carinho da viviane o seu astral. Na relação com a família a mudança com o aprendizado foi conversar bastante sobre o que aprendi. Indicaria para todas as pessoas que não conhecem bem o corpo. 
52 anos / Feminino / Do Lar
 Boa e onde a gente consegue esquecer os problemas.Conhecer a teoria da EMH melhorou a minha vida pois aprendi a conhecer melhor o meu corpo.Senti na minha relação com a família o aprendizado de estar mais calma e compreensiva. 
29 anos / Feminino / Do Lar
 Muito bom. Aprendi mais sobre a Energia Material Humana Negativa e Positiva.Gostaria de continuar aprendendo .Depois da reflexão vivenciada na oficina do GAV estou mais feliz.. Me chamou atenção de tudo um pouco do conteúdo apresentado. Melhorou na minha casa o comportamento dos meus filhos. Eles estão menos bagunceiros. Indicaria esta oficina para meus filhos,amigos e irmãos. 
46 anos / Feminino / Do Lar
 Achei que é um curso muito bom para nosso crescimento mental. Aprendi a conhecer melhor as relações do meu corpo e a lidar com tudo o que me cerca.Decobri reações em mim que eu não acreditava existir.Senti mais união e companheirismo entre meus filhos. Indicaria para minha tia, meu marido, meus filhos e primos. 
49 anos / Feminino / Do Lar
 O GAV foi ótimo. Passei a controlar meu estado emocional. Me chamou atenção na oficina o banho da alma, o relaxamento e fazer as atividades com mais tranquilidade. Indicaria o GAV para o meu marido, filhas e sobrinhas. 
46 anos / Feminino / Oficineira de Artes
 Gostei muito da oficina. Queria que, se possível,continuasse. A teoria da energia material humana melhorou muito a minha vida, pois aprendi a me conhecer melhor e, me conhecendo, eu posso tratar melhor as pessoas. Nesta oficina os aprendizados que foram ensinados coloquei na prática. Foi muito boa a mudança que senti no tratamento na relação com a minha família e na minha vida. Indicaria essa oficina para todas as pessoas que eu conseguisse convencer a participar. 
55 anos / Feminino / Do Lar
 Foi muito bom enquanto durou conhecer a teoria da EMH. Melhorou a minha vida. Eu chegava muito chateada e ia embora muito mais leve. Chamou a minha atenção na teoria foi sobre o valor do bate papo.Senti, na relação com a família, que a mudança foi muito boa, principalmente com a nora. Indicaria para muitos que estão tristes. 
53 anos / Feminino / Do Lar
 O curso para mim foi uma escola a que fui pela primeira vez. .Melhorou a minha vida como a de todos da família. Me chamou atenção foi o relaxamento. Senti uma mudança muito boa. Indicaria para os meus pais. Gostei muito! 
62 anos / Feminino / Do Lar
 A oficina foi muito boa, gostei muito. Conhecer a Energia Material Humana melhorou muito com a minha relação com as pessoas.Senti que devo gostar mais da minha família e aprendi que devo tratá-la bem melhor também. 
55 anos / Feminino / Do Lar
 Foi bom. gostaria que continuasse.Houve uma grande melhora comigo e com relação à minha família e com os amigos. 
35 anos / Feminino / Do Lar
 Ótimo! Aprendi muitocom o curso. Melhorou muito ter paciência, coisa que não tinha.Me chamou atenção em tudo o que foi dito .A mudança foi com o meu marido de ouvi-lo mais e, com meus filhos, conversar mais. Indicaria para meusamigos e cunhadas. 
54 anos / Feminino / Do Lar
 Eu gostei muito porque minha cabeça estava a mil, eu não tinha paciência nem comigo, eu estava com stress e deprimida. Para minha vida melhorou porque esse tempo todo eu não sabia nada do que foi dito aqui na oficina sobre o nosso corpo, pois não tenho estudo direito.Na minha família eles gostaram muito. Aprender fazer o banho da alma e o escalda pés foi muito bom. Agradeço a Deus por vocês existirem. O Senhor Jesus abençõe a todos vocês .Indicaria essa oficina para minha filha mais velha que tem cinco filhos ,minha vizinha e amiga. 
32 anos / Feminino / Do Lar
 A oficina para mim foi muito produtiva, sempre ajuda a aprender, pois o saber não ocupa espaço. Me chamou atenção o respeito por nós mesmas. Estou sorrindo mais e me organizando mais, estou mostrando a importância de ter a ajuda dos meus famíliares. Indicaria a oficina pros jovens estudantes do ensino fundamental e médio nas escola s.Principalmente para meus filhos. 
51 anos / Feminino / Do Lar
 Achei muito importante os encontros, nos deram a oportunidade de nos conhecermos melhor e esclarecermos vários temas. Melhorei o meu comportamento comigo mesma, passei a olhar mais para dentro de mim.Me chamou a atenção a importância da relação sexual bem sucedida. 
26 anos / Feminino / Operadora de Caixa
 Foi muito bom.Conhecer a teoria da Energia Materia Humana aprendi a conviver comigo mesma isso eu não sabia.Nesta oficina me chamou atenção descobrir o valor de se sentir o sabor das coisas. Na relação com a família a mudança de ter mais paciência com o aprendizado.Indicaria para as minhas amigas a oficina. 
53 anos / Feminino / Comerciante
 Tive uma experiência muito positiva com a oficina do GAV. Aprendi muito a conviver com o meu ser. Meu comportamento melhorou muito. A convivência com o grupo chamou-me atenção e quero ter mais informção. A mudança foi a de ser mais paciente. 
53 anos / Feminino / Do Lar
 Foi muito bom porque passei a entender algumas coisas como o negativo e positivo, pois eu não imaginava que um simples escalda pés fazia a gente relaxar. Me chamou atenção foram os nomes usados por vocês, como lobosofia, ser em si e o relaxamento. Senti só com minha filha, pois sugeri para ela o escalda pés e ela gostou e sempre está fazendo. Indicaria a oficina para meu esposo,uma irmã e minha filha. 

Grupo do Amor Verdadeiro – Projeto Providência

29 / feminino / Educadora infantil
 O GAV na minha opinião é um lugar onde aprendemos a conhecer e aprofundar o conhecimento da energia material humana. Com esta consciência, aprendemos a vencer os tabus e mitos gerados pela nossa sociedade. A minha visão de mundo mudou. A teoria me orientou a perceber os meus sentidos e a ter um olhar mais profundo sobre o meu próprio ser. O GAV me mostrou de forma clara e objetiva a energia material humana. O que chamou mais atenção foi de poder acreditar na transformação das pessoas, sendo que, se quisermos, podemos mudar nossas atitudes diante da vida. Eu melhorei como pessoa. A minha auto-estima aumentou, e sinto que passei a ter mais afetividade com as pessoas, sinto-me mais segura, mais consciente. Aprendi a respeitar mais os meus sentimentos, como por exemplo, dizer não quando não quero e ainda, relaxar, coisas que não faziam parte dos meus hábitos diários. No que diz respeito ao sexo, aprendi a perceber e respeitar meu desejo.Eu indicaria o GAV para minha família, meus amigos e colegas de trabalho e todo ser humano que reconheça que precisa de mudanças. 
24 / feminino / Educadora
 O GAV consegue fazer grande diferença na vida das pessoas que estão dispostas a mudar e a conhecer melhor os seus sentimentos. A Teoria da Energia Material Humana melhorou a minha visão sobre a vida e estou aprendendo a conviver melhor comigo mesma. Na teoria me chamou muito a atenção o fato de saber que eu posso definir e controlar os meus sentimentos. Estou me tornando uma pessoa mais paciente, mais carinhosa e mais dedicada em casa. Este é um curso que eu recomendo para todas as empresas onde há um grande número de pessoas que trabalham em grupos. 
53 / feminino / Psicóloga
 O GAV possibilita nos conhecermos melhor. É um momento de reflexão, de busca de melhoramento nas relações, valorização dos sentidos, mudanças de atitudes, reflexão sobre os mitos. É principalmente um espaço de aprendizagem e aceitação do outro. Conhecer a Teoria da Energia Material Humana melhorou minha vida, pois passei a dar valor às coisas do cotidiano: respirar, alimentar, ouvir histórias, etc. O que mais me chamou a atenção foi como as coisas do cotidiano, quando as percebemos ou sentimos, mudam a nossa vida para melhor e como as mudanças de hábitos nos tornam mais tranqüilos. Em minha família a maior mudança foi a tranqüilidade com que estou enfrentando os problemas e passando isso para meu marido e filhos. Eu indicaria o curso para pessoas que trabalham diretamente com o público. Ex: escolas, igreja, saúde. 
41 / Feminino / Pedagoga
 O curso apresenta temas interessantes e ensina como lidar com questões diárais nas relações com os outros e consigo mesmo. Ao conhecer a Teoria procurei observar mais atentamente minhas emoções, o que facilitou o convívio em casa e no trabalho. Despertei-me para a questão do pecado: a noção do desejo que foi perdida aumentando a energia negativa em nós.Hoje percebo que quando a referência no outro lidera minhas emoções, não cultivo minha essência, expressando assim , a energia material humana negativa ao invés da positiva.Foi muito bom participar do curso e principalmente por estar em um grupo de pessoas com as quais são do meu convívio.Indicaria o curso para o meu namorado, porque ele teria abertura para o tema.Um obrigado a todos, principalmente Viviane, com quem mais convivi.Um grande abraço! 
46 anos / Masculino / Auxiliar Administrativo
 O curso é ótimo, esclarecedor e nos faz pensar mais sobre nós mesmos. É um curso diferente e precisa ser mais divulgado para que que as pessoas possam conhecê-lo. O que mais me chamou atenção foi a energia material humana. Aprendi a relacionar melhor com as pessoas e comigo. Senti também uma mudança de comportamento na minha família pelo fato de ter me mudado. Passei a me comportar mais humanamente no que diz respeito à sexualidade. Indicaria este curso para minha esposa, meu irmão e todos que se interessarem. 
38 anos / Feminino / Educadora Infantil
 Este curso foi e está sendo muito bom para mim. É um aprendizado a mais para a vida pessoal, hoje já vejo muita mudança em minha vida. O que mais me chamou atenção foi a meneira de lidar com o outro; o falar e o agir. E como lidar com situações difíceis que enfrentamos na caminhada do nosso dia a dia. Quero aproveitar ao máximo, pois não são todos que têm esta oportunidade como eu tive de conhecer e valorizar este trabalho que foi tão importante para mim. Todas as pessoas precisam conhecer o trabalho desenvolvido por esta equipe. 
42 anos / Feminino / Pedagoga
 Com o mundo globalizado as pessoas pensam muito no ter e esquecem do ser. Assim o curso me ajudou a entender melhor como canalizar minhas energias e trabalhar de forma positiva. O que mais me impressionou e impressiona é que tudo parte de coisas e atitudes simples do cotidiano. Aos poucos tenho percebido mudanças em mim e em minha família. Tenho indicado o curso para muitas pessoas, pois penso que o que é bom deve ser repassado. 
55 / Feminino / Assistente Financeiro
 Houve um despertar em mim e uma convicção de que achei o caminho da luz quando descobri a função da energia material humana, dentro da dimensão da energia, e sua relação com minhas questões que de há muito tento enfrentar. 
35 anos / Feminino / Educadora
 O curso me possibilitou a busca de melhorias pessoais que refletirão no meio em que estou inserida. Conhecer a EMH melhorou minha vida, pois me proporcionou pontuar, refletir, questionar e me respeitar mais, tendo consciência e mais equilíbrio para viver melhor. O que mais me chamou atenção nesta teoria foi a possibilidade de rever valores, conceitos e atitudes. Hoje percebo que estou mais equilibrada, me policiando constantemente; não deixando que qualquer coisa me tire do sério como era antes. Eu indicaria este curso para todas as pessoas que trabalham na área social, igrejas, associações, hospitais, enfim, todos que lidam diretamente com o público. 

Informativos

51 / feminino / professora
 Desta vez, fico bastante emocionada com esta mensagem! O Natal anda perdendo, conforme envelheço, a magia. Não é a minha criança que clama presentes materiais. É minha criança que olha para o mundo e o vê assim no modelo da agressão. E são tantas, meu Deus... da filosofia, da teologia - como está aqui tão bem descrito. Por isto minha emoção de dor. Minha família paterna tinha a "sabedoria popular". Pobres de matéria e ricos em espiritualidade. Com eles cantei, brinquei, abracei... Conheci o mundo como vivia. Mas cresci e algo em mim foi dando outro caminho a minha vida - as cientificidades! Olho as imagens do Menino no berço e quero apenas vê-lo grande para que eu possa me sentir em seu colo de Homem Divino. O Menino me "faz muita dó" porque há milhões de meninos que sofrem em muitos berços. Vocês me enviaram meu pedido de Natal a Deus: a Magia por todos os anos, porque eu não sei mesmo o que faço... De fato, nestas palavras enviadas saem lágrimas que há muito estão guardadas. Que minha dor possa levar 2010 para chegar 2011. Muito, muito obrigada e um fortíssimo abraço! Com estes mesmos desejos que vcs me enviaram! ver o informativo mencionado 

Lançamento do Livro: Racionalidade da Sabedoria Popular

Masculino / Jornalista
 Jamais poderia imaginar me sentir feliz em ser barrado na entrada de um evento. Ao sê-lo, tive a consciência do êxito de seu lançamento. Além do mais, tive o prazer de assistir à toda a sua fala, pelo telão instalado nos jardins, junto a uma simpática platéia de mais de 50 pessoas. 
30 / Feminino / Psicóloga
 Fábio, Gostei muito da sua entrevista, e estou achando o máximo a repercursão do livro. Pena não poder ter estado com você no lançamento, mas foi aniversário do meu irmão e a família reuniu para jantar com ele (ele não mora aqui em BH), mas saiba que estou torcendo muito por mais esse peojeto realizado. Parabéns de coração! 
Masculino / Jornalista/Fotágrafo
 Confesso que nunca vi esta sala Juvenal Dias transbordar de tanta gente! Ainda bem que vocês tiveram a idéia de colocar um telão! 
Feminino
 Gostaria de saber onde posso comprar o Livro recém lançado de Fábio Madureira. Pois, gostei muito da entrevista na TV Câmara. 
Feminino / Jornalista/Empresária
 Parabéns! Fábio, O lançamento foi um sucesso, o livro que apenas folheei, tá caprichadíssimo, a palestra foi execelente, enfim vc brilhou!! Vc está de parabéns, pois bem sei que não é fácil fazer tudo isso sozinho. É um verdadeiro "case" de como viabilizar um sonho, isto é passar das idéias à prática. Longa vida à Ser em Si. Vou ler o livro e depois ver se me sinto a altura de participar desta discussão tão importante. Te confesso que até hoje havia captado mto pouco de suas idéias, por limitações minhas é claro. 

Livro: Racionalidade da Sabedoria Popular

52 / Feminino / Escritora
 Foi como levar um soco na boca do estômago, foi como se acordasse de um sono profundo. Algo em mim me anestesiava, me entorpecia, me impedia de viver. Alguns dias antes, havia tido um sonho em que uma poderosa luz penetrava-me por todos os poros, me fazendo amolecer diante de tanta potência... Então me perguntei: como a simples leitura de um trabalho poderia gerar impulsos elétricos em meu organismo? Reconheci, num estado de vigília, a minha dimensão corpórea que estava pronta para falir. Porém, com o choque, literalmente uma descarga elétrica me fez chorar. E eu deixei as más águas saírem e elas eram a tristeza, a burrice, as feridas que eu mesma ajudei a ferir, a ignorância histórica com a qual compactuei, a distância e o abismo com os quais me separei de mim. Na louca busca de religar-me ao sagrado, ao espírito, como pude esquecer que a minha dimensão material de energia humana também fazia parte desse processo? Não respeitei a representação, o reflexo, o sopro divino feito de carne e ossos, e negando aquilo que era tangível, palpável, sofri... e no fato de negar, o ato de não amar. Abandonei-me, tornei-me objeto vendido em cada esquina, eu, cafetina de mim mesma, apenas repetia o gesto de continuar a castrar-me. Aceitei e disse amém a tudo que herdei e é por isso que a morte e a má sorte sempre viveram comigo, assim juntinhas, nós três, de mãozinhas dadas, cantando uma doce cantiga de suicídio. Mas felizmente eu estava lá, o livro era sólido ali nas minhas mãos, somente para os meus olhos “Racionalidade da Sabedoria Popular: energia material humana e sexualidade” de Geraldo Fábio Madureira, Mazza Editora. A mensagem entrou pelos olhos e descortinou um mundo de possibilidades e então eu soube que teria uma chance para me desconstruir, conhecer, amar e gozar. O que desejo é que muitas mulheres possam viver a experiência da vontade de ser, da potência de ser, para que esse sistema, no qual fomos criadas e “mal-criadas”, ele sim possa falir e enfim nos deixar viver. 
39 / feminino / Assistente Administrativo
 ostei muito.A dinâmica tratada no livro é bem trabalhada pelo autor.Nos faz mudar nossa visão de mundo e de vida e a entendermos sobre EMH (energia material humana), que muitas vezes é negada por nós.Pois acreditamos que tudo tem energia, menos o ser humano É ensinado como produzimos/reproduzimos essa energia, como livrarmos das descargas negativas desta.E a sabedoria popular é um dos berços que inspirou o autor a revelar o conteúdo do livro Racionalidade da Sabedoria Popular Energia Material Humana e Sexualidade. 
45 / feminino / Relações Públicas
 Eu e meu companheiro, cruzamos nossas vidas, vindos de estradas aparentemente distintas: eu, buscando me encontrar e compreender o sentido das coisas a partir do marxismo; ele, a partir da espiritualidade. Estávamos num momento da vida em que eu me dirigia para espiritualidade – ainda cheia de questionamentos, mas já somando algumas evidências da existência do divino; ele, por sua vez, cada vez, mais inconformado com as injustiças sociais, voltando seus olhos para a política. Em comum, tínhamos a insatisfação com explicações simples ou totalizantes. Tínhamos, pelo menos, uma certeza: a de que vida é complexa e nada explica tudo. Vinte anos depois, estamos juntos nas práticas espirituais e políticas. A leitura do livro do Fábio Madureira tem subsidiado ricas discussões em nossa casa, para as quais temos procurado, inclusive, trazer nossos filhos, que já, há algum tempo, vêem apresentando as suas dúvidas sobre a vida ............ 
66 / masculino / filósofo/professor
 Li tudo com muita atenção. Trata-se de obra esclarecedora de muitos comportamentos, que acontecem até involuntariamente.Compreendi melhor a diferença entre alívio e prazer, embora a ache um tanto difícil, justamente por achá-la sutil.Nós fomos criados e educados com preceitos negativos, impostos pelos pais, educadores e pela religião:tem que se agasalhar para não ter gripe; não falar palavrão para não ir para o Inferno; escovar os dentes para não ter cárie, etc.. Era a educação do medo. Além do mais, para o menino podia tudo e para a menina nada. Daí, então, serem as meninas tímidas, desconfiadas, medrosas e acharem que não podiam ter o mínimo contato com meninos, porque esses só pensavam em sexo e isso era pecado, conforme falou a mãe. A interpretação do episódio de Adão e Eva (pecado original)é excelente,embora grande parte da população deste mundo moderno não aceite o pecado original.O livro é pioneiro em muitos conceitos que não eram bem explicados e quiçá colabore para que surjam outros "fábios" para o crescimento e amadurecimento desses conceitos de suma importância. Parabéns ao Autor,aos seus colaboradores e à ONG SER EM SI.Esse livro é fruto de um trabalho arrojado e corajoso. 
feminino / professora
 Li com muita atenção Racionalidade da SABEDORIA POPULAR. Despertou-me ou acredito que AVIVOU sentimentos de serrana, ex- aluna da FAFICH e cidadã esperançosa.(apesar de...) Acredito como vc.bem enfatiza que é urgente resgatar a Sabedoria Popular, o ser em si para construirmos a PAZ,ressaltarmos a solidariedade e sermos sujeitos plenos. O cap. XXI é especial. 
masculino / pesquisador reichiniano
 Tive o prazer de estudar seu livro e confesso que fiquei encantado. Você conseguiu traduzir , de maneira objetiva e simples, um assunto de extrema complexidade. O caminho traçado pela sua idéia-raciocínio, no que concerne à materialização da energia, conduziu-me a pensar em tornar sua matéria indispensável para a pesquisa (todo bom pesquisador deveria inteirar-se de suas ponderações). Ao longo de minha leitura, pude perceber, e até mesmo visualizar, como um indivíduo transita entre os momentos de energia de vida e morte, até que finalmente, seja por um trauma ou por alguma desventura, decide permanecer na energia de morte (doenças, neuroses, autoboicotes). O que, aliás, é para onde a humanidade caminha, caso não recicle seus conceitos. Em linhas gerais, a humanidade "civilizada" considera o prazer propriedade do diabo. A dificuldade e a penúria, coisa de Deus. Todos vivem em função de adquirir um pedacinho do céu e esquecem de viver aqui. Para propagar a neurose com aura moralista, criam-se restrições, proibições e leis, algumas até absurdas. As proibições são tantas que até inventaram o carnaval para um escape fugaz e alívio sem culpa. Enfim, vejo que o que você tão carinhosamente me deu não foi tão somente um livro, mas sim um tesouro, que deverá obrigatoriamente fazer parte da bibliografia de quem realmente se preocupa com a vida e o bem-estar do ser humano 
48 / masculino / Professor
 A leitura e estudo do livro “Racionalidade da sabedoria popular: energia material humana e sexualidade” de G. Fabio Madureira, foi para mim um profundo prazer, porque foi uma descoberta de conceitos nunca antes aprendidos. Em janeiro deste ano de 2008, estava passando férias com minha filha adolescente em Iriri/ES e, enquanto apreciava a bela praia de Santa Helena, tomando uma deliciosa caipirinha no bar do Jonas, lugar simples e delicioso, de belo mar azul, curtia os cabelos dourados de minha filha, lia também, com imensa satisfação, este livro que nos remete ao essencial da vida, nos levando a um lugar de ruptura para com o medo de viver. Existe a Energia Material Humana que é a chave e a grande revelação do texto. E nesse desvelamento fica explícita a relação da sabedoria popular com a produção dessa nossa energia. E o importante é que o autor, que tive a alegria de conhecer pessoalmente no meu retorno a Belo Horizonte, propõe um encontro criativo e construtivo entre a sabedoria popular e o conhecimento científico. O livro apresenta fundamentos das teorias de Sigmund Freud e de Wilhelm Reich, além da teoria do materialismo histórico de Karl Marx. O texto de Fábio é importante porque aponta onde aconteceram as lacunas nessas teorias que tentam compreender o fenômeno da vida humana. A partir dessas constatações, o autor constrói um avanço significativo para a maior compreensão dos processos de produção e reprodução da energia material humana. Considero a leitura desse livro como fundamental para todos aqueles que muito especialmente trabalham no campo da saúde e da educação, para todos aqueles que trabalham com a vida de outro ser humano. Destaco no livro o esclarecimento que passamos a ter com a diferenciação entre alivio e prazer e, também, entre vontade e desejo. Mas, sobretudo, a desmistificação, pelo conceito de energia material humana, da tão antiga e hegemônica tese do caráter enganoso dos nossos sentidos. Perceber esses ensinamentos nos mostra a diferença entre fazer força para viver e viver no fluxo da vida, sem qualquer esforço. E por que isso é importante? É porque quando estamos no fluxo da vida, a energia que produzimos é positiva e quando não, é negativa. E nisso há as conseqüências para nossa qualidade de vida e felicidade. Porque produzimos um campo de energia que nos afeta individualmente, mas também a tudo que está à nossa volta. Por fim, para mim, leitor e estudioso da Educação e da Psicologia Corporal, a síntese que ficou é a que Fabio expressa na frase: “Quem cultiva qualquer medo é impotente para o amor”. É a chave para não cultivarmos mais o medo e deixarmos crescer o amor que está na nossa capacidade de produzir a Energia Material Humana positiva, que se expressa na amorosidade que vivemos, muito especialmente no desenvolvimento de nossa sexualidade, desde que somos um bebê, ao nascer, e na nossa capacidade de viver nossa sexualidade adulta, ancorada no verdadeiro desejo amoroso. Não tenhamos medo de afirmar nossa sexualidade porque, como nos ensinou Reich, não existe nada mais sexual do que a própria vida. Fábio dá ainda mais consistência ao valor de nossa sexualidade bem vivida. 
60 / masculino / economista
 Li,com prazer, "Racionalidade da Sabedoria Popular" e percebi que ele retrata,antes mesmo das reflexões que imediatamente induz e propõe, o seu autor :contestador,idealista,sonhador, ético e sobretudo em busca da verdade!Seu livro,portanto, não carece de DNA: é seu filho "gerado", com prazer, no contexto do amor!! Confesso-lhe, entretanto, minha perplexidade ante sua tranqüilidade e até irreverência na sua contestação de algumas crenças e valores consagrados em nossa cultura ocidental!Efetivamente, a sua mensagem maior é orientada nesse sentido e tranquilizou-me ,no decorrer da leitura, o fato de que você não se esqueceu de Galileu, fogueiras, etc.... e encarou o desafio!! Seu livro, na minha percepção, exige do leitor uma atitude prévia : despir-se de" PRE-CONCEITOS" em todos os campos e estar emocional e intelectualmente comprometido com a busca da verdade!Também, exige do leitor reflexões e uma visão sistêmica do contexto em que vivemos.Tudo isso por conta das densas mensagens que são transmitidas em cada capítulo e até mesmo em páginas e parágrafos! Cabe-me, finalmente,em que pesem minhas limitações próprias e circunstanciais, dizer que "Racionalidade da Sabedoria Popular" está permeado pela filosofia cristã na dimensão dos tempos modernos e traz em seu bojo a sua mensagem maior ,ora esquecida,ora ridicularizada, : o amor, nas suas multifacetadas formas, incompreendido nos dias atuais! Parabéns por sua percepção,sensibilidade e ousadia na busca da verdade! 
55 / Masculino / Empresário
 Encontro-me deliciando com a leitura do livro referenciado. Realmente, é muito interessante a forma simples como o autor desenvolve seus argumentos e os fundamenta, procurando dar testemunho dos mesmos com a sua vida e mesmo com o que se lhe apresenta como verdade. . Aproveito para cumprimentar o autor 
24 / Feminino / Estudante
 1) O livro apresenta como nós vivemos o mundo hoje. Seja é em suas “regras” ou nossas vontades.Mas ele também traz outra visão de mundo, nos faz pensar se tudo o que fazemos é porque gostamos ou apenas por uma certa regra imposta pela sociedade. O livro traz alguns exemplos disso, como a questão de se escovar os dentes, é porque faz bem à saúde, porque você gosta ou você não sabe o porquê? Mudou um pouco a minha visão do mundo, pois comecei a pensar muito sobre se o que estou fazendo, se eu gosto ou não, e tenho repensado muita coisa em minha vida.4) Luta pela sobrevivência, busca pela perfeição, hábitos e valores da classe trabalhadora 

Lobosofia 2015

28 / Masculino / Professor
 Confesso que pratiquei pouco em casa mas durante as aulas da disciplina fiz um pouco e percebi mudanças interessantes: mais relaxamento, diminuição das tensões e mais presença. 
36 / Feminino / Aux. Adm.
 A prática da lobosofia, nos traz calma, paz e harmonia, nos ajuda a relaxar e a refletir. 
34 / Feminino / Professora (cursa pedagogia)
 Qunto a lobosofia, essa prática só me fez bem! Sentia tensões muito fortes na face, rangia os dentes, dormia mal e acordava com muitas dores musculares na face. Com a prática da lobosofia, não tive mais bruxismo e agora durmo bem melhor. 
35 / Feminino / Funcionária Pública / Carteiro Feminina
 Nos primeiros momentos da lobosofia, tive um pouco de desconforto e muitas das vezes acabei dormindo. Mais nas outras práticas, consegui relaxar e foram muito prazerosas.Só para ressaltar as visitas do Fabio Madureira foi muito importante e prazerosa. 
59 / Feminino / Funcionária Pública
 A prática aliada à meditação e ao relaxamento proporcionou e tem proporcionado conhecimentos mais intensos sobre mim mesma  
18 anos / Feminino / Estudante de Educação Fí­sica
 A lobosofia foi relaxante, não senti nenhum formigamento, me deu sono e um pouco de angustia de estar apoiando minha cabeça em algo duro. 
25 / Feminino / Professora Educação Infantil
 Quando fiz esta prática fiquei tão relaxada ao ponto de dormir/cochilar por estar passando por uma fase na minha vida muito conturbada. 
24 / Feminino / Estudante / Professora
 5- Desde a primeira vez que pratiquei a lobosofia não consiguir mais parar. Ao menos uma vez por semana eu pratico. Sinto um relaxamento instanteneo todas as vezes, além do meu corpo ficar mais leve e desinchado, devido a eliminação de gases e liquído. 
21 anos / Masculino / Estudante de Física
 A lobosofia foi algo que particularmente me fez muito bem. No inicio das aulas não dei muita atenção, mas após pesquisar sobre ela para fazer meu seminário, decidi realizar a prática e hoje a pratico todos os dias antes de dormir. Está me fazendo muito bem, me sinto mais bem disposto e pude notar melhoras em pequenos incomodos corporais como alergias e problemas de respiração que há muito me incomodavam. 
39 / Masculino / Professor
 5- Quando da prática da lobosofia algumas das sensações esperadas ocorreram, tal como, formigamento de membros inferíores por exemplo, mas uma coisa me foi interessante, enquanto eu estava no exercício de lobosofia todo o meu corpo se aqueceu, me veio um transbordar de leveza, parecia que eu estava levitando, também me senti conectado a algo, tipo de uma dimensão moudivel, foi ótimo. tomara eu experimentar estas e outra experiências outra vez. 
23 anos / Masculino / Estudante de Física
 Ao praticar a lobosofia, tentei me relaxar ao máximo, no inicio foram tempos de aproximadamente vinte minutos, aumentando progressivamente até quarenta minutos. Senti os formigamentos na ponta dos pés. Houve uma melhora no meu dia a dia e durante o sono.  
26 / Feminino / Auxiliar Secretaria Escolar - PBH
 Quando pratiquei lobosofia, inicialmente senti muitas dores no pescoço. Não tinha posição que me deixasse à vontade, pois sentia falta de algo macio. Com o tempo, o desconforto passou, e comecei a me sentir mais relaxada. Pude notar que até a minha postura melhorou. 
20 / Feminino / Estudante de Pedagogia
 5. Pratiquei pouco a lobosofia, mas, ao praticar, senti um relaxamento muito grande e formigamento nas pernas e braços (mais nas pernas). 
31 anos / Feminino / Analista de ICMS Patrimônio Cultural (serv. público)
 Pratiquei muito pouco a lobosofia, mas fisicamente não percebi reações. Me foi interessante e produtiva no sentido de parar um momento para refletir minhas atitudes no dia.  
27 / Masculino / Coordenador Pedagogia
 5-A Lobosofia é um complemento perfeito para a minha prática de meditação, me livrei da insônia e agora sei que conheço ainda mais de mim mesmo, além de poder retirar as energias negativas do meu corpo.  
40 anos / Masculino / Professor de Educação básica
 Infelizmente acabei não conseguindo conciliar meu corrido ritmo de vida com a experência da lobosofia. Mas por duas ou três vezes a pratiquei e considerei positivos os resultados. De sensção desagradável apenas senti dor na parte da cabeça que estava apoiada na superfície rígida. Da primeira vez quiz verificar se conseguiria ir até o fim da prática na mesma posição e consegui sem que a dor sofresse uma variação considerável. Depois quando doía eu trocava de posição e ficava tudo bem. 
24 / Feminino / Estudante de Pedagogia - Bolsista de Iniciação Científica (Trab. Terceirizado)
 Por fim, ao que se refere à prática da Lobosofia, ressalto que a pratiquei duas vezes, no meu quarto. Preparei o ambiente, colocando, bem baixo, um mantra. A primeira vez não foi muito confortável, pois havia me deitado no chão e o mesmo me proporciou muito desconforto nas costas. Nessa primeira vez, não consegui me concentrar na prática e devido a isso desisti de continuá-la. Na segunda vez foi mais prazeroso. Deitei na cama e apoei a cabeça na tábua que ganhei do Fábio. Fiquei na mesma posição por uns 30 minutos. No inicio senti um pouco de desconforto na cabeça, mas foi amenizando à medida que variava a posição. Após a prática me senti mais relaxada e com muito sono.  
33 anos / Masculino / Téc. Manutenção
 Quanto a lobosofia fiz três vezes durante o curso. Na primeira senti um pouco de formigamentos nos pés e um leve desconforto nas costas. Na segunda eu estava em um ambiente em total silêncio e relaxei bastante, tive consciencia do meu corpo por completo e adormeci. Na terceira vez seti formigamentos novamente nos pés. acho que tanto na primeira vez quanto na terceira eu estava bastante tenso e essa tensão se refletiu em formigamento como se eu estivesse liberando a energia negativa que estava acumulada em mim.  
22 / Feminino / Estagiária em uma escola de Ed. Infantil
 5. Nas práticas de lobosofia foi possível sentir meu corpo e assim chegar ao auto relaxamento. Nunca parei para fazer algo que me beneficiasse após um dia cansativo e de estresse. Após a prática pude sentir melhoria no meu sono, confesso que no começo senti muitas dores, mas aos poucos fui aprendendo a lidar e a aproveitar este período para manter minha mente em paz. 
24 anos / Feminino / Estudante ( Pedagogia) - Bolsista iniciação científica
 Meu primeiro contato foi de estranhamento. Nunca havia ouvido falar de lobosofia e quando fiz pela primeira vez não percebi muita coisa.Na segunda vez, em um ambiente mais tranquilo, percebi meus batimentos cardíacos, dei atenção à minha respiração. Não tive reações "estranhas" em nenhum momento, como calafrios ou formigamentos. Para mim a lobosofia possibilitou um auto conhecimento do corpo, um relaxamento. Os incômodos iniciais foram se desfazendo, a pele em contato com a superfície dura causava desconforto e depois parecia se desmanchar, acompanhando o formato da superfície. Reservar estes minutos para lobosofia me deu tempo para ficar comigo mesma.  

Lobosofia 2016

23 / Feminino / Funcionária Pública
 Relaxamento, calma e descanso!Me conectei comigo, com tudo ao meu redor!Vi como é bom ter esse momento de descanso, nos faz relaxar e depois de um dia exaustivo, poder parar e colocar os pensamentos e ideias em ordem. 
22 / Masculino / Estudante De Matemática
 Olha no início eu não estava acreditando muito na lobosofia, mas o professor nos incentivou a praticar, e eu não sei se é coincidência ou não, mas depois de dias, semanas com a prática regular, eu notei uma melhora no meu sono e no meu ânimo e irei continuar praticando a lobosofia pra ver se vejo mais alguma melhora.  
24 / Feminino / Estudante
 Aprática da lobosofia foi realizada pelo período de 30 minutos, deitada com a cabeça apoiada no chão( superficie dura conforme indicado), em um local da casa em que não havia muito barulho para que eu pudesse me concentrar no relaxamento. Durante o período, confesso que senti dificuldade em esvaziar a mente e me entregar totalmente à prática, acho que isso pode ter atrapalhado um pouco a sentir o " fluxo de energia". Em relação ao corpo, não senti nenhum incomodo em estar deitada em uma superfície dura e também não senti nenhuma sensação estranha, apenas ao final do período os pés começaram a dar um leve sinal de formigamento.Acredito que, ao realizar por mais vezes a prática da lobosofia, em períodos de tempos maiores, e também conseguindo focar a mente somente na prática e relaxar, conseguirei aproveitar melhor dos benefícios dessa técnica. 
Feminino
 E por fim a lobosofia, que ao praticar descobri que relaxa e incomoda o corpo, quando fica por muito tempo em uma posição e um lugar duro, meu torax doeu, fiquei um pouco zonza, porém houve em mim um relaxamento, calma interior.  
42 / Masculino / Técnico Eletrônica
 Teoricamente é uma técnica de relaxamento e meditação fundamental a todas as pessoas no equilibrio de suas energias.Pratiquei apenas duas vezes por uns 10 a 15 minutos e não fui capaz de perceber qualquer alteração ou sensação no corpo. Compreeendi que terei que praticar mais vezes a lobosofia para perceber o fluxo das enrgias. 
33 / Feminino / Analista de Sistemas
  
28 anos / Masculino / Professor de física
 Em um domingo acordei em torno das 9:00, e fui visitar minha irmã que estava pra ganhar neném, e eu ja sai da cama com fortes dores de cabeça e incômodo. Chegando fui medir minha pressão (ela estava com aparelho devido ao controle diário na gravidez), e me assustei: estava algo em torno de 15,8 / 9,9. Pensei que seria devido ao estar andando e ainda não ter tomado café, lanchei e medi novamente, praticamente não teve alteração nas medidas, então deitei e fiquei relaxando por volta de 15 a 20 min, e ao medir estava pouca coisa mais baixa, algo em torno de 15,4 / 9,0.Então resolvi colocar a Lobosofia em prática, e fiz pelo mesmo tempo aproximadamente 20 min, quando fui aferir a pressão percebi que estava bem abaixo (exatamente o resultado que a Lobosofia propõe), a medição deu 13,3 / 7,9. Voltei pra casa (levando minha irmã e cunhado e o aparelho), almocei e fui tirar a dúvida e estava mais baixa ainda, 12,8 / 8,0. Ou seja, a Lobosofia abaixou de maneira imediata e duradoura a minha pressão. 
22 / Feminino / Professora
 Não pratiquei muito a lobosofia no decorrer do curso, nas primeiras práticas tive dificuldade em me concentrar e abstrair dos meus pensamentos,tendo leves formigamentos nos pés, e nas vezes seguintes consegui abstrair mais, porém senti muito sono, e até dormi em uma das práticas.  
24 / Masculino / Estudante
 Minha prática com a lobosofia,creio que foi produtiva mesmo dormindo em todas as práticas, acredito que isso se deve ao fato de ter conseguido entrar em um estado de relaxamento, de entrar em contato comigo,a sensação após a prática foi muito boa parecendo mesmo que você descarregou, que ficou mais ''leve''.  
22 / Masculino / Assistente Administrativo da Policia Militar MG
 Basicamente pude perceber que a socidade está se distanciando cada vez mais na busca pela EMH positiva. A lobosofia procura corrigir este problema em nosso roganismo. Irei aplicar esta tecnica em meu dia a dia de hoje em diante. Quanto aos resultados dessa prática, pude sentir um estado de relaxamento profundo aliado a um grande estado de alivio. Como se minhas energias se renovassem.  
60 / Masculino / Professor de Matemática
 Para mim está sendo muito benéfica nos aspectos ligados a recuperação de patamares mais saudáveis das vias respiratórias superiores (rinite/sinusite)e consciência corporal ( desprezando pelo menos a busca por sintomas, coisa que antes não me ocorria).  
24 / Feminino / Estudante
 A lobosofia, pois nunca tinha parado para ver que eu não tinha um tempo comigo mesma, e quando me deparei com a lobosofia percebi o quanto sou hiperativa e o quanto tenho medo do tédio de ficar comigo mesma  
24 / Feminino / Estudante
 Sou uma pessoa muito agitada, e por isso, praticar lobosofia foi um pouco mais difícil, pois demorava muito a me concentrar, e na maioria das vezes acabava adormecendo. Com o tempo, consegui avançar um pouco e a sentir um leve formigamento nas mãos, pude notar que mesmo nas vezes em que adormeci eu acordei mais disposta e com uma energia melhor.Em conclusão, eu gostei de fazer a disciplina que apesar de não concordar com todos os temas abordados, consegui absorver coisas boas, e eu pretendo continuar praticando a lobosofia na minha vida. 

Lobosofia 2017

31 / Masculino / Estudante De Fí­sica/Professor
 No começo não estava dando muito crédito, mas assim que começei a praticar com maior frequência, fui percebendo melhoras na minha saúde, principalmente na respiração e na circulação sanguínea. Hoje até minha esposa pratica.  
Masculino / Estudante De Física/Professor
 Comecei a praticar a lobosofia apenas no último mês da disciplinam e cheguei a fazer umas sete ou oito vezes. As práticas duravam entre 20 e 30 minutos. De maneira geral não tive muitas sensações/reações inusitadas para relatar. Quase sempre tive uma sensação de relaxamento boa. Na maioria das vezes, a lobosofia era praticada no fim do dia, antes de dormir, e trazia uma sensação boa. Espero continuar a realizar a lobosofia.  
23 / Feminino / Estudante de Letras/Professora
 A prática da lobosofia para mim proporciona além das sensações de relaxamento e alívio, uma sensação de descobertas de pontos do meu corpo, proporcionavam reações diferentes e essas reações por sua vez proporcionavam prazer.  
28 anos / Feminino / Estudante de Pedagogia/Ass Administrativa
 A palavra META, do grego que quer dizer alvo, assim método quer dizer o caminho para o alvo, a pessoa quando tem uma meta e um método, tem um mínimo que permite um super avanço, isso porque o método organiza e potencializa. Assim o "método" da prática de lobosofia permite que nos livremos dos sintomas provocados pelo acúmulo de EMH(-), o que me ajudou a me livrar dos sintomas da sinusíte . Espero com o tempo desbravar minhas couraças.  
23 anos / Feminino / Matemática
 A prática da Lobosofia, foi bem interessante. Não consegui praticar todos os dias da semana, pratiquei 3 vezes na semana mais ou menos uns 40 minutos. As primeiras foram bem difíceis o relaxamento, mas depois de algum tempo ficava relaxada. Depois comecei a sentir a melhora no dia-a-dia conseguia dormir melhor ficava mais relaxada, meu intestino começou a funcionar melhor. Comecei a sentir a presença de Deus mais intensa dentro de mim sempre acreditei e acredito em Deus, mas como as vezes todos nós duvidamos de sua existência eu estava também questionando e triste, mas ao praticar a lobosofia fiquei mais firme na fé também e isso foi muito bom par o meu interior. Indiquei para minha mãe também e ela gostou muito, ela ficava muito cansada e desanimada, mas depois que ela começou a fazer a prática ela se sentia melhor e seu dia rendia mais. Gostei muito e vou continuar a praticar sempre que for possível.  
47 / Masculino / Estudante de Biologia/Professor
 O efeito para mim, mais marcante, foi como eu consegui relaxar e dormir tranquilamente após as sessões, visto que eu tinha certa dificuldade para dormir.  
26 anos / Masculino / Licenciatura em Química
 A prática inicialmente me incomodava bastante, não por sentir algum desconforto corporal ao algo assim, me sentia muito ansioso e a mente ativava mais. Com o tempo consegui prolongar o tempo de realização da lobosofia e conseguia diminuir a ansiedade e isso ajudava a relaxar o corpo e a mente, algumas vezes a lobosofia ajudava a pensar mais sobre alguma situação que ocorreu no calor do momento. Chego ao final praticando de vez enquanto, pois me sinto mais relaxado. 
Masculino / Química Licenciatura
 A prática de Lobosofia realizei na parte da noite, antes de dormir e pude perceber um profundo relaxamento quando pratiquei e no outro dia sentia os efeitos dessa prática quando meu corpo ficava mais leve e relaxado durante o dia. Em algumas ocasiões senti um formigamento na ponta dos meus dedos, acredito que seja pelo fato da energia negativa sendo dissipada.  
42 anos / Feminino / Ciências Biológicas
 Apesar da falta de tempo para sempre praticar a lobosofia durante o semestre, das vezes em que a realizei senti grande relaxamento muscular que me auxiliou no sono e a me manter mais tranquila durante o dia. A primeira experiência foi muito positiva, até melhorou minha dor de cabeça depois de um dia cansativo de trabalho e estudo. 
24 anos / Masculino / Estudante De Matemática
 No início pensei que era apenas uma técnica de relaxamento, mas depois de praticar a lobosofia e ver as reações pude perceber que vai muito além disso. Depois de algum tempo pude notar que eu estava mais tranquilo, mais seguro das coisas que eu ia fazer, passei a ficar menos ansioso, consegui ter mais controle sobre as coisas, uma série de detalhes no dia-a-dia pude perceber a diferença, e o quanto isso faz bem para o nosso organismo, estar bem consigo mesmo, ficar relaxado etc. Essa é a experiência que estou tendo com a lobosofia e com certeza vou levar para a vida toda quando as coisas começarem a sair do controle 'bora relaxar' e praticar lobosofia. Obrigado professor por esse semestre tão produtivo.  
24 anos / Masculino / Estudante
 No começo do curso eu realizei a prática 4 vezes, em dias não consecutivos. Por praticar meditação a mais tempo e ter grande interesse no assunto, a prática me serviu como novo método, permitindo explorar algo até então não explorado. Em todas as vezes eu realizei a prática por 20 minutos, acompanhado por música 2 vezes e em silêncio 2 vezes. Em todas os resultados foram similares à prática meditativa rotineira: formigamento leve nos dedos a princípio, leveza e relaxamento profundos e sensação de “desligamento” dos membros e, por fim, do tronco. Além disso houve leve dor de cabeça na região pressionada, mas tal dor passou com o tempo. 
27 / Masculino / Estudante De Fí­sica/Projetista Mecânico
 Melhorou consideravelmente minha qualidade de vida, principalmente em horas de descanso. É uma prática que pretendo adotar para o resto da vida.  
Masculino / Estudante
 É um relaxamento muito bacana, essa foi a melhor coisa que vou levar do curso e também o conhecimento sobre como relaxar.  
23 anos / Masculino / Matemática
 Os momentos que pratiquei a losobofia foram em momentos de estresses. Ao fazer a losobofia pela primeira vez não me senti muito bem, pois me senti desconfortável com a prática (livro sob a cabeça), porém com o passar do tempo fui me sentindo mais confortável, pude perceber que a prática resulta um relaxamento, sensação de conforto e esvaziamento/mente vazia, e nisso percebi a questão da EMH, onde pude liberar todas as cargas negativas as quais me causavam o estresse e um mal estar.  
22 / Feminino / Estudante De Fí­sica/Professora
 A lobosofia foi uma prática que cooperava para retirar a tensão dos músculos, e com a retirada de energia negativa, a disposição para praticar as demais atividades do dia-a-dia e a sensação ou produção de EMH.  
18 / Feminino / Estudante De Matemática
 No início, tinha muita dificuldade para começar a relaxar, portanto não conseguia ficar mais do que 15 minutos e nem aproveitar/ interpretar as reações do meu corpo. Com o passar do tempo, fui conseguindo ficar mais tempo. No início da matéria não acreditava que a prática de lobosofia podia surtir efeitos reais.Porém, passei a praticar com mais frequência e um resultado positivo foi que me ajudou muito a me concentrar e ter consciência de que todos nós precisamos de um momento de relaxamento no nosso dia. E que também foi uma boa maneira de tirar E.M.H negativa do corpo.  
22 anos / Feminino / Física Licenciatura
 Meu primeiro contato com a lobosofia foi cercado por desconfiança. Porém, a execução dessa prática me permitiu experimentar muitos dos benefícios da descarga de energia negativa. Como estava no final de ano, extremamente ocupada e cansada, o momento de fazer a lobosofia era de tranquilidade e relaxamento. Dessa forma, me deixou menos ansiosa, mais disposta, tranquilizou meu sono e melhorou o meu humor. Apesar disso, acredito que a continuação da realização da lobosofia ainda me trará maiores vantagens com relação ao bem estar e à saúde.  
20 anos / Feminino / Matemática
  Confesso que comecei um pouco cética com relação aos reais benefícios da lobosofia, mas logo na primeira vez que decidir praticá-la, me surpreendi imensuravelmente com seus efeitos. Pratico-a sempre que estou com dores físicas (pernas, costas/colunas, cabeça), me sentindo cansada (física ou psicologicamente) ou quando quero melhorar minha respiração. As sensações são diferentes em cada prática e compreenderam em: formigamento no pé direito, formigamento leve nas pernas e mão direita, necessidade de alongar-me, de respirar profundamente e de movimentar a cabeça nas regiões que compreendem os lobos celebrais. Foi incrível me sentir tão leve, disposta, otimista, grata a Deus, feliz e apaixonada pela vida em todas as vezes que a pratiquei. Os efeitos perduram por um dia ou mais. Ajudou muito, também, a respirar melhor. Cada realização da lobosofia teve duração de 20 a 30 minutos, aproximadamente e, geralmente estava deitada em minha cama com a cabeça apoiada em cima de um caderno de capa dura. Tive a experiência, também, de realizar a prática deitada na cama com um travesseiro sob as costas. Foi excelente, pois favoreceu demais minha respiração, visto que tenho dificuldade respiratória devido a alergias, rinite e asma. Com certeza foi um grande aprendizado que será muito útil e benéfico ao longo de minha vida. 

Manifesto EGOlógico

23 / Masculino / Consultor
 É uma excelente iniciativa para que passemos a respeitar o nosso corpo a partir da compreensão da dimensão energética.  
feminino / Escritora e Consultora de RH
 O texto possui uma profundidade, eu diria quase inédita, da linha transcedentalista da luta pela qualidade ambiental, que é em última instância a qualidade de vida. Mas creio que os colegas escritores e profissionais da escrita em geral, precisam começar a escrever teses de formas mais populares. Isto porque é importante atingir as faixas menos acadêmicas, que sem dúvida, precisam se integrar efetivamente também à proposta.  

MARF

28 / feminino / Psicóloga
 Para Freud, sem dúvida alguma, a impotância psíquica é o terror dos seres humanos. Tratando-se especialmente das mulheres, percorremos em nossa memória a história cultural que nos faz emergir enquanto sujeitadas de nossos próprios prazeres. Nós, mulheres, temos alcançado posições ditas machistas e de auto-sobrevivência afetiva. Porém, o risco do que encontrar nesta busca não foi pensado e para tanto, hoje, a falta de referência em nós mesmas nos obriga a uma nova busca, a da plenitude sexual, e através do MARF podemos ir de encontro com o real do sexo, do amor, do gozo, enfim da complexidade do que é ser mulher.  
27 / Feminino / Psicóloga
 O MARF apresenta uma revisão e releitura dos paradigmas e valores tidos como atuais. Os Bioencontros me despertaram para uma nova consciência do meu EU, da minha sexualidade e dos meus relacionamentos. Senti que esse processo não foi externo, ou seja, apenas a teoria para ser aplicada no dia-a-dia. Ele foi muito mais intenso, levando-me toda hora a uma reflexão do como estava vivendo, e o porque minha sexualidade representa tanto em minha vida. Aqui aprendi, desaprendi, falei, calei, me expus, mas principalmente me entreguei à escolha de viver uma vida melhor, harmoniosa e prazerosa, com a certeza de que minha expressão física, psíquica e biológica demonstram quem e como sou.  
29 / Feminino / Psicóloga
 Fazer parte do início da construção de um ideal, MARF, só me trouxe ganhos. Ganhos profissionais, estudando teorias e analisando como anda o comportamento das mulheres no mundo de hoje; e ganhos pessoais, trabalhando minha sexualidade e conhecendo-a e entrando em contato com sentimentos relacionados ao meu corpo, deixando fluir assim desejos e vontades. No decorrer das sessões fui incorporando a MULHER que sempre esteve ali adormecida. Mulher esta que deseja, que sente prazer, é ativa, feminina e POTENTE.  

Palestra de Lançamento do Livro: Racionalidade da Sabedoria Popular

Feminino
 Parabens por sua entrevista á TV Câmara. Nele foi citado um treinamento ou aprendizado para o ofício de rezadeira. Tal assunto muito me interessa. Gostaria de saber mais sobre curso, treinamento ou leituras que tratem deste tema.  
/ feminino / Aposentada,educadora
 Acredito também nos saberes populares. Quero dialogar em 2008 com a SER EM SI.  
35 / Feminino / Estudante de Enfermagem
 Olá! Parabens pelo seu sucesso, assisti sua entrevista na tv camara,e fiquei encantanda com seu ideal. Saiba que meu foco de vida não estava em mim , eu sempre me espelhava no outro e principalmente por eu ser estudante de enfermagem eu tenho que valorizar a cultura popular respeitanto cada paciente com seu ideal. Obrigada.  
41 anos / Masculino / Professor
 Olá! Gostei muito de receber informaçoes de vocês! Assisti a palestra do Fábio. Gostei. Mas não entendi muito. É uma questão de aprofundamento. Bioencontro e aterramento queria conhecer mais. Sem dúvida quero ler o livro do Fábio achei legal. Obrigado até a próxima.  
33 / masculino /
 Assisti a entrevista e fiquei muito interessado no assunto, pois a teoria de seu autor é de uma corência espantosa, pois tem suas bases na essência do ecossistema da humano.  
Masculino
 Uma das coisas muito boas em 2007 foi saber da existência da seremsi. Agora nas férias vou ler o livro do Fábio e na volta quero conhecê-los. Um grande abraço, feliz natal e ano novo de muito amor.  
masculino
 Achei muito interessante o assunto abordado por Fábio Madureira. É um intelectual e vai causar o que falar com suas idéias. Quero estudar mais sobre o assunto e me aprofundar pois acredito piamente no que diz. Um abraço  
Masculino
 OLÁ ,TEM COISAS QUE OUVI O SENHOR FALAR NA TV QUE PENSAVA: QUE SINTONIA CARAMBA! QUE LEGAL!,,, JA FUI CHAMADO DE DÉBIL POR AQUI POR EU FALAR QUE AS PESSOAS SEMPRE ARRUMAM FORMAS DIFERENTES DE DIZER AS MESMAS COISAS. PORQUE TUDO QUE DEVERIA SER DITO JÁ FOI E NÃO EXISTE INTECTUAL QUE SEJA, NESSE MOMENTO, UM DIVISOR DE ÁGUAS. QUE TODOS NÓS SOMOS CÉLULAS DE UMA ÚNICA REALIDADE. QUE O DEFEITO QUE VEMOS NO OUTRO É COMO SE FOSSE UM ESPELHO. QUE ESSA DIMENSÃO EM QUE VIVEMOS É SÓ UM REFLEXO DAS TANTAS OUTRAS. QUE A REALIDADE NOSSA É PUERIL. QUE NA REALIDADE ESTAMOS SENDO PREPARADOS AQUI PARA OUTRA REALIDADE, OUTRA DIMENSÃO, ALIAS, OUTRAS DIMENSÕES. (...) JÁ QUISERAM ATÉ ME INTERNAR. MAS VI MUITA AFINIDADE! JÁ TAVA COMEÇANDO A PENSAR QUE EU ERA DOIDO MESMO. MAS VC ME FAZ ENCHERGAR QUE talves EU NÃO ESTEJA TÃO MALUCO ASSIM. OBRIGADO MEU AMIGO. antes de tudo gostaria de agradecer do fundo do meu coração sua gentileza de ter me respondido talvez nesse momento eu não possa adquirir o livro para me aprofundar no assunto mais assim que me for possivel vou adquirir com o maioir respeito e considerção por que sei que vem de uma pessoa que tem muito a dizer por aqui! forte abraço e fica sempre na luz irmão! a dificuldade em me realcionar com a realidade e com a realidade do mundo capitalista,predador,oportunista,dissimulado,fraticida,fragmentário,competitivo por enchergo as coisas de uma forma como se tudo faz parte de tudo em sua interpenetrabilidade e que todos são pedaços de nos mesmos por isso tenho dificuldade com o hemisfério esquerdo do meu cerebro o analitico (isso quase não desenvolvi nada) mais o direito o feminino esse sim sempre luto por essa realidade em mim mesmo tenho dificuldade e nisso mais vou procurar ler o livro com o maior carinho mais uma vez obrigaod pela sua gentileza ! forte abraço! geral@seremsi.org.br escreveu: Alexandre, bom dia. Primeiramente agradeço o contato via site. No seu depoimento você enfatiza uma certa dificudade em se relacionar com o real. Essa dificuldade não é apenas sua, na mediada em que não temos sabido lidar com uma parte de nossa matéria: a energia material humana. Seria, pois, interessante que você lesse o meu livro "Racionalidade da sabedoria popular: energia material humana e sexualidade", cujas orientações para a aquisição estão no nosso site "www.serem si.org.br". Cordialmente, Fábio Madureira 
masculino / Professor de filosofia
 Sou professor de ensino religioso e filosofia. Tenho um projeto que destaca a necessidade de consertar o homem para consertar o mundo, e na entrevista com o escritor Fábio Madureira me identifiquei muito, pois , acredito firmemente que só haverá mudança no planeta quando coseguirmos mudar o ser humano. Onome do meu projeto é: SALVARELER. Salvar é ler. Desde de já muito obrigado  
54 / feminino /
 Vi uma entrevista do Fábio Madureira - não toda, é verdade. Mas me interessei, me identifiquei com algumas colocações do palestrante, na TV Câmara. Tive a impressão de já ter ouvido esse nome "seremsi"... Visitei o site. Gostaria, entretanto de ter mais informações, ex, se é interessante conhecer primeiramente o livro, quanto custa, se se pode visitar a instituição, como se articulam, se ajudam, ajudam aos outros, se é mais direcionado para jovens. Tenho 54 anos, sou funcionária pública. Sucesso ao grupo  
51 / masculino / Advogado e pecuarista
 Acredito no que ouvi na TV Camara, o problema é que não sei como fazer essa troca da energia negativa que temos, pela energia boa , natural, voltar a essencia, já ouvi falar em mantras etc..., mas sinceramente, não consigo evoluir neste sentido, e automaticamente na vida como um todo. Sou advogado e pecuarista, tenho 51 anos e já vivi muitas coisas. Gostaria de evoluir mas se esbarra nessa energia imprópria. Moro na Amazonia e estou longe da natureza, apesar de vê-la todos dias, peço uma orientação para, iniciar o caminho do verdadeiro prazer, e não do alivio, parabéns pelas colocações ao Palestrante.  

Potência Genital Feminina

23 / feminino / comunicadora
 Desde que me entendo por mulher, sinto vontade de fazer xixi durante a relação sexual.Já tentei evitar essa vontade de todas as maneiras: evitando a ingestão de líquidos próximo à hora da relação, indo ao banheiro logoantes da relação… Já até parei no meio para ir ao banheiro… Mas nada adiantou! A danada da vontade sempre esteve lá. Mas o pior dessa "vontade de fazer xixi" é que ela sempre vinha acompanhada de uma dor. Era como se ao final do canal tudo ficasse mais apertado do que deveria, e sempre que o pênis encontrava essa região (mais ao fundo), a sensação era de incômodo, dor, quase uma "cãimbra interna"… algo bem ruim, que sempre me fazia pensar que o certo era mudar a posição.(…)Ao ter contato com a teoria da Energia Material Humana, aprendi que a EMH negativa se acumula no nosso corpo e pode ser encontrada em diversos estados, sendo o segundo deles o líquido (a água, a tal da m'água). Descobri que era natural - e recomendado, inclusive! - que as mulheres liberassem uma água pela vagina (diferente do xixi, do corrimento, do sangramento… enfim, água. Com textura de água, cheiro de água), e que essa liberação muitas vezes poderia acontecer durante a relação.(…)Um dia, cansada daquele incômodo da "vontade de fazer de xixi", e com a pulga atrás da orelha sobre aquela história da água, resolvi tentar. Meu parceiro também tinha conhecimento da teoria e me incentivou. No meio da relação, sem interromper a penetração, me mantive na mesma posição que causava a "vontade de fazer xixi"e tentei relaxar. "Relaxar"naquele momento significava na minha cabeça praticamente "deixar o xixi sair, se é isso que ele quer". Relaxei, relaxei.. fiz uma certa força, tentando empurrar o que tava querendo sair, e, de repente… tcharan! Transbordei de água saindo de mim. Não podia acreditar q não era xixi. Os lençois estavam completamente molhados, se formou uma poça d'água ao meu redor e embaixo de mim. Olhei praquele líquido: transparente. Pus a mão, cheirei. Inodoro. Não, não era xixi. Era água. A tal da m'água. Ela tinha finalmente saído. Ficamos muito empolgados com o acontecimento e pudemos, finalmente, continuar a relação… sem vontade de fazer xixi, sem dor. 
32 / feminino / Administradora
 Estou casada há três anos e nos primeiros meses do meu casamento sofria muito com a candidíase. Para quem não a conhece é uma irritação(um fungo) que dá na vagina. Fui ao ginecologista e ele receitou-me pomada para uso interno e medicamento em cápsulas para meu marido tomar, pois afirmou que eu poderia ter me contaminado através do meu parceiro, então, o tratamento seria para os dois. Mesmo seguindo todas as instruções, passava alguns meses o fungo voltava. Isso estava prejudicando muito minha relação porque rendia um período de uns dez dias e fazer sexo nesse período era impossível, devido a dor e ardor que eu sentia com a penetração. Ao ter contato com a teoria da energia material humana, aprendi muitas coisas e foi o que me ajudou. Uma delas é buscar ter referência em mim mesma e não no meu marido. Isso resulta em trocar o fazer sexo por fazer amor. Melhor dizendo, ter relação sexual quando estou com desejo e não para satisfazer o meu marido. Aí com certeza passou a ser delicioso para ambos. O meu marido é testemunha disso. Outra coisa que aprendi foi fazer lobosofia e foi com essa prática que consegui ter contato com meu desejo reprimido. Na medida que fui buscando a real vivência do meu desejo, consegui eliminar durante o ato sexual muita água. Aprendi que essa é chamada má-água e que eu, por desconhecimento e medo, estava represando-a e isso que virava a candidíase. Tudo isso gerou em nossa relação amadurecimento e busca da solidariedade. Foi de extrema importância para o meu casamento 
28 / feminino / Educadora Infantil
 No início do curso fiquei um pouco perdida com a teoria passada para todos nós. Depois as coisas começaram a ficar mais claras, percebendo que nós não nos conhecemos. Quando começamos a ver sobre a potência masculina e feminina, ou seja, sobre a energia material humana, tanto positiva, quanto negativa,tudo foi ficando mais claro. Principalmente a importância do intumescimento vaginal, para que a mulher realmente possa vivenciar seu desejo. Nosso corpo não foi criado para acumular energia material humana negativa, tende, a todo momento, a expulsá-la. Eu sofria muito com candidíase e isso me incomodava muito. Explicaram-me que eu deveria estar represando uma má-água que, às vezes, a mulher verte durante o ato sexual. É que a gente tem a impressão que vai fazer xixi e segura. Só que essa má-água represada se solidifica e vira a tal da candidíase. Criei coragem e, durante as relações sexuais com meu parceiro, passei a perceber que esta água começou a ser eliminada aos poucos, na medida em que buscava a real vivência de meu desejo. Até que um dia eliminei uma quantidade imensa de água,como se estivesse rompendo uma bolsa de gravidez. Meu parceiro ficou assustado, mas já havíamos conversado sobre o assunto e ele ficou mais tranquilo. Estou mais tranquila, porque melhorei, ficando assim mais leve. 

Sabedoria Popular

24 / Feminino / Estudante
 A falacidade dos sentidos, para a sabedoria popular, sempre foi um sinal de que o indivíduo não estava em harmonia com sua energia natural. Daí sua busca por métodos como descarrego, benzeção, rituais, entre outros. Para a sabedoria popular, os sentidos sempre foram uma fonte segura de saber, e sempre acreditou que , além da energia vital, existissem outros tipos que interferem nas ações e reações Humanas e modificam o seu comportamento natural. 

Site

19 anos / feminino / Técnica em Enfermagem
 O site dispertou minha curiosidade para conhecer mais sobre o assunto.  
28 / feminino / terapeuta ocupacional
 A minha dor de cabeça era secundária a uma crise de hipertensão. Além da lobosofia usei tratamentos naturais como comer cebola, beber água com limão e ingerir bastante líquido. Também passei dois dias sem comer alimentos com sal. Antes da lobosofia realizada no dia 05/07/2007, minha pressão arterial era 170/110mmHg, no outro dia pela manhã era 160/110 e no mesmo dia (06/07), após a lobosofia ficou 140/100. Usei vários artifícios para reduzir a pressão arterial, acredito que a lobosofia teve grande importância.  
35 / feminino / Educadora
 O curso me possibilitou a busca de melhorias pessoais que refletirão no meio em que estou inserida. Conhecer a EMH melhorou minha vida, pois me proporcionou pontuar, refletir, questionar e me respeitar mais, tendo consciência e mais equilíbrio para viver melhor. O que mais me chamou atenção nesta teoria foi a possibilidade de rever valores, conceitos e atitudes. Hoje percebo que estou mais equilibrada, me policiando constantemente; não deixando que qualquer coisa me tire do sério como era antes. Eu indicaria este curso para todas as pessoas que trabalham na área social, igrejas, associações, hospitais, enfim, todos que lidam diretamente com o público.  
49 / feminino / jornalista
 Aprovo! Respondendo a mensagem de ano novo 2013 da ong  
60 / Masculino / Jornalista
 Mais bonito, mano véio, e encantador, de outro modo nem poderia haver - como a noite deste 29 outubrono!... MA-RA-VI-LHO-SO - tudo!... PARABÉNS, hermano Fábio. E Lélio deixou-lhe um grande abraço!... .  
Masculino / Jornalista
 Agora, sim, o site Ser em Si está com swing e molejo dançante e gozante...  
18 / feminino / vestibulanda
 Primeiramente gostaria de parabenizar. O site está muito legal, bom de navegar, com um design muito bacana. Adorei as frases que mudam o tempo todo lá em baixo! E a idéia da enquete tambem é muito legal! Tá realmente tudo muito bacana!  

Teoria da Energia Material Humana

30 / feminino / Pedagoga
 Achei interessante o fato de primeiro ser trabalhada a questão do paradigma de conhecimento que atualmente rege a sociedade, contrapondo com a teoria da EMH e sua contribuição para uma vida mais prazerosa.  
Masculino / Ciências Biológicas
 Saber sobre a teoria e poder ver as diferentes aplicações foi de grande impacto, pois já tinha lido sobre o mesmo conceito porem com outras palavras. Ao estudar a teoria podemos perceber os benefícios que esse conhecimento pode propiciar . Profissionalmente como professor a teoria me ajudou a ter mais motivos para pesquisa sobre a interação do ser humano com o mundo. Sinto que ao entrar no campo cientifico essa interação foi se perdendo e a teoria da energia material humana vem com o propósito de mostrar como interagir e os significados dessa interação . 
31 anos / Feminino / Analista de ICMS Patrimônio Cultural (serv. público)
 A energia material humana mudou um pouco minha visão sobre algumas relações com o outro no dia-a-dia, pensando na energia que as envolvem, que são também por elas produzidas. No trabalho, ainda não percebi mudanças, até porque trabalho no setor de serviços e é dificil pensar a transformação da natureza neste setor. 
38 / feminino / Técnica em Enfermagem
 Muito veio a acrescentar em minha vida. Descobri que nós mulheres não somos apenas um corpo mas sim energia, e energia material humana em todos os aspectos, e aprendendo a nos desfazermos da energia material negativa, podemos cultivar a energia positiva, ajudando-nos a nós e aos outros também.  
42 anos / Feminino / Ciências Biológicas
 O professor Leonardo Jose Jeber é pontual em todas as aulas e conduz a disciplina de um modo muito didático, realizando dinâmicas que nos coloca intensamente em meio ao contato corporal pessoal e com o próximo. Ele agrega à disciplina valores que são importantes e estão sendo banalizados na atualidade, principalmente relacionados à sexualidade. Respeitosamente, menciona a diversidade cultural presente em sala de aula, compartilhando suas vivências e experiências, como professor do Centro Pedagógico. Na minha vida pessoal, a teoria da Energia Material Humana me fez compreender como funcionam as trocas energéticas e o grande impacto da produção dessa energia quando é negativa ou positiva. Ela está relacionada aos nossos sentimentos e agora me controlo mais em minhas atitudes e penso muito antes de dizer algo aos meus amigos e familiares. 
38 / Feminino / Educadora infantil
 Este curso foi e está sendo muito bom para mim. É um aprendizado a mais para a vida pessoal, hoje já vejo muita mudança em minha vida. O que mais me chamou atenção foi a meneira de lidar com o outro; o falar e o agir. E como lidar com situações difíceis que enfrentamos na caminhada do nosso dia a dia. Quero aproveitar ao máximo, pois não são todos que têm esta oportunidade como eu tive de conhecer e valorizar este trabalho que foi tão importante para mim. Todas as pessoas precisam conhecer o trabalho desenvolvido por esta equipe.  
27 / feminino / Pedagoga
 O aprendizado sobre a teoria da EMH permitiu que eu pensasse nos meus hábitos e atitudes de outra forma, considerando a energia como um fator importante no nosso cotidiano e na forma de ver o mundo.Ao conhecer a teoria comecei a me avaliar mais no que diz respeito aos meus hábitos e atitudes e a maneira de pensar sobre minha relação com as pessoas. 
28 / Masculino / Professor
 1) Gostei muito dos conteúdos. Já tinha uma ligeira compreensão de alguns aspectos da teoria da EMH mas pude aprofundar muito mais e perceber a aplicação prática da mesma no cotidiano.3) A teoria fez com que eu percebesse alguns aspectos do meu dia a dia de emaneira diferente. Fez com que eu me observasse mais e as relações que estabeleço.4) Na minha vida profissional tentei replicar algumas coisas com meus alunos, por exemplo, um relaxamento que realizei com eles e a importância da respiração. Outra parte foi na relação com meus colegas professores, me aproximando dos que sentia mais abertura, e uma conversa mais ampla com eles. 
24 / Masculino / Jornalista e Estudante
 Depois de conhecer melhor a EMH, impactos na minha vida pessoal aconteceram sim, mesmo que sutilmente. A preocupação sadia para evitar o acúmulo da energia material mortal e a busca por um equilíbrio psico-somático são alguns dos exemplos de atividades que passei a exercer.  
23 / Feminino / Funcionária Pública
 A teoria foi muito complexa pra mim no começo,e como disse anteriormente, as coisas foram ficando mais claras!Aprendi sobre não prender muitos ressentimentos e a buscar sempre ter alegrias em minha vida, pois isso é uma forma de sempre estarmos bem. Apreciei muito andar com os pés no chão e sentir a terra ou o piso frio em meus pés. Já apreciava as coisas simples, hoje aprecio mais.Confesso que fez diferença em minha vida profissional, tinha muitos conflitos em meu trabalho e depois de cada quinta-feira, vi que não valia a pena manter tantas coisas ruins e quase sempre desnecessárias, vale a pena termos coisas boas ao nosso redor, faz bem pra alma e pro corpo como um todo. 
28 / Masculino / Professor
 Na minha vida pessoal a teoria da EMH impactou no sentido de compreender melhor meu corpo, sua relação com a natureza e com as pessoas, levando em conta a energia envolvida nesses processos.Como professor na minha vida profissional a teoria da EMH impactou como dito anteriormente, mas especificamente na minha relação com meus alunos e outros professores, a minha sensibilidade na compreensão dos acontecimentos e repensar em muita coisa. 
24 anos / Feminino / Estudante De Educação Fí­sica
 Me ajudou muito a enfrentar a vida de uma forma paciente, sempre procurar transmitir energia positiva e focar em não absorver energia negativa.Ser mais paciente , refletir sobre os assuntos que me confrontam procurando resolvê-los. 
39 / Masculino / Professor
 3- A partir deste saber poderemos então tomarmos consiência do perigo que é a produção de EMH negativa, como também como é potente uma produção positiva de EMH. Isso é forte.4- Idem (3) 
33 / Feminino / Analista de Sistemas
 Antes de cursar esta disciplina, eu já acreditava na EMH,mas ao aprofundarmos em seus conceitos e fundamentos nesta disciplina, fez com que eu mudasse algumas atitudes no meu dia a dia.Tanto na vida pessoal como profissional, hoje procuro que o processo do meu corpo flua, ou seja, não quero ficar guardando nada dentro de mim.Estou tentando buscar processos que me dêem prazer, atividades que realmente me façam feliz e tentando evitar situações e pessoas que não me fazem bem, pessoas que apelidamos de " negativos" e buscando sempre ter um pensamento positivo.  
18 / Feminino / Estudante De Matemática
 Na minha vida pessoal tenho dado mais voz aos reflexos do meu corpo e o que eles podem estar querendo dizer. Além de prazer por ter pessoas com E.M.H + agora que minha percepção está aguçada. 
22 / Feminino / Estudante De Física/Professora
 Com o conhecimento da teoria da EMH positiva e negativa, a busca por cuidar de mim mesma internamente se tornou maior, e em resposta a produção de EMH positiva foi maior.Como professora, devemos ser observadoras do desenvolvimento dos alunos e esse desenvolvimento corre de acorodo com a EMH positiva ou negativa, essa carga pode ser observada no comportamento dos estudantes, devemos saber identificá-las, e muitas vezes devemos ensinar os alunos a se descarregar da EMH negativa. 
23 anos / Masculino / Matemática
 Tendo como base os estudos abordados sobre a EMH, ela me ajudou a compreender mais os sentidos da vida, a questão entre o alivio e o prazer, os comportamento que tenho, além de conhecer melhor meu corpo, a relação do meu corpo com a natureza e com os meios do mundo. Já no meio profissional, como serei professor tenho que a EMH, irá me ajudar com a relação, vivencia, e comportamento que terei com os alunos e outros profissionais/individuas que manterei contato no meio profissional, além de me ajudar a compreender mais os meios da educação. 
26 / Feminino / Auxiliar Secretaria Escolar - PBH
 Ao entender como funciona a energia material humana, pude notar que me tornei uma pessoa menos crítica e exigente comigo mesma. Entendo, que passei a me observar mais e a dar mais atenção aos sinais que meu corpo emite.Em relação à minha profissional, posso dizer que a compreensão da EMH trouxe ótimos benefícios. Passei a organizar melhor o meu tempo e as minhas tarefas, a partir do momento que respeitei meu ritmo de funcionamento . 
28 / Masculino / Servidor Público
 Por já lidar com algumas reflexões de filosofia e religiões orientais, bem como estudos da doutrina espírita( no ocidente), já tinha familiaridade com a idéia que aponta relação entre dimensão material e energética. Nesse sentido não houve alteração. 
45 anos / Feminino / Recepcionista
 A EMH teve em mim um sentimento de despertar para seu impacto ou poder, em consequência tanto na observação que ela traz de doenças quanto de bem estar, desejo. Hoje em meu cotidiano observo meus sentimentos se são negativos ou positivos , para melhor me equilibrar. 
22 / feminino / Estudante
 Após o estudo da teoria, comecei a compreender questões pessoais de forma mais clara. Passei a enxergar algumas questões de forma diferente e, em primeiro lugar, considero que esse estudo colaborou bastante para uma coisa fundamental a todos, que é o autoconhecimento. Considero o contato com a teoria da EMH muito relevante. Achei o tema bastante interessante e apesar de todas as discussões realizadas, sinto que é preciso buscar ainda mais informações que, pelo tempo não puderam ser tão esclarecidas durante o curso, como desejava. Já conhecia algumas teorias sobre energia, mas não cheguei a estudar nada sistematizado e essa entrada é muito bem vinda em nossa formação para que possamos colaborar na formação verdadeiramente integral dos seres humanos com quem trabalhamos, já que vimos a importância dessa dimensão, assim como para colaborar com a melhoria de nossas próprias vidas e entender melhor problemas que antes eram mais difíceis de serem esclarecidos.  
22 / feminino / Estudante
 Percebe-se na sociedade como um todo a desvalorização da sabedoria popular com a instauração de um modelo de conhecimento que despreza os sentidos e só busca o desenvolvimento de habilidades racionais, deixando de lado o desenvolvimento das habilidades emocionais, excluindo a dimensão da energia da matéria e gerando a falacidade dos sentidos. Com os sentidos reprimidos, temos perdido nossa capacidade de vivenciar a dimensão do prazer e vivemos pautados numa lógica do medo, chamando de prazer aquilo que não passa de alívio. Isso reflete, é claro, na educação formal, onde observamos a formação de um círculo vicioso, uma vez que esse modelo de conhecimento que nega a dimensão da energia é reproduzido também nas universidades. Assim os professores formados pelas universidades, reproduzem nas escolas esse modelo e seus alunos, passando por esse processo se tornarão futuros universitários herdeiros desse modelo.A sabedoria popular tem perdido seu valor, pois é um saber que não tem consciência de si mesmo. É necessário então, refletir sobre a produção e reprodução do saber, reavaliar o saber e incorporar a dimensão da energia à nossa visão de mundo gerando uma nova leitura da realidade. A partir de um processo histórico, o homem desaprendeu a lidar com a dimensão da energia e sua recuperação possibilita a construção de um novo modelo pedagógico que se baseie na valorização dos sentidos como fonte de sabedoria e prazer.A instauração de um novo modelo de conhecimento não é fácil, pois como vimos, existe um círculo vicioso, mas a introdução de uma disciplina que se proponha a refletir sobre essa mudança em um curso de formação de professores já é uma iniciativa de abrir as portas para que ela ocorra. 
Masculino / Química Licenciatura
 Na minha vida pessoal teve um impacto muito grande, pois estava vivendo um término de relacionamento enquanto fazia a disciplina e me culpando muito por isso. Devido a essa disciplina pude perceber quanto o relacionamento estava fadado ao fracasso e como não havia uma relação prazerosa com a minha parceira, era mais um alívio para não estar sozinho. Além disso, me fez enxergar as relações entre as pessoas com outros olhos, porque até então desconhecia essa visão espiritual de Wilhelm Reich e pude ver o quanto a energia, mesmo não enxergando, ela tem uma importância imensurável. No âmbito profissional essa teoria me ajudou no exercício da minha profissão, sou monitor de matemática em uma escola de periferia de Venda Nova. Nesse emprego, trabalho com os alunos que tem maior dificuldade de aprendizado e/ou tem problemas com disciplina. Com isso, enfrento varias ocasiões onde tenho q usar muitos dos ensinamentos que vimos em sala para contornar várias situações que presencio. No âmbito do estudo da química pude perceber como a teoria fissão/fusão realmente está presente na minha vida, mas nunca dei a importância que era merecia, já que curso química e nela vejo as reações de fusão/fissão nuclear e elas seguem o mesmo padrão dito pelo professor Fábio, o que me causo uma profunda reflexão sobre o estilo de vida que vivia. 
20 / Feminino / Estudante De Educação Física
 O principal impacto foi os links da minha vida com os princípios do alívio x prazer, com a sexualidade (historicidade e o papel social da sexualidade).Ser mais atenta as crianças e o que elas sentem, tratar a sexualidde em minha disciplina ( educação física), ser capaz de ajudar os alunos em seus temores. 
25 / Masculino / Estudante De Educação Fí­sica
 Tentarei não levar os vícios/ pecados no dia-a-dia e me livrar da EMH negativa seja pelo grounding ou pela lobosofia.Na área profissional também é uma tentaiva de lidar com a pessoas de uma maneira mais humana,cultivando a EMH positiva. 
23 / Feminino / Estudante
 Conhecer a teoria da EMH foi algo fascinante, pois sempre desejei considerar a dimensão energética em nossas vidas, mas nunca consegui encontrar um aporte teórico que sustentasse tal vontade. Enquanto educadora a teoria da EMH me deu um suporte para a busca de prática pedagógica que preze por um ambiente de aprendizagem rodeado por sentimentos positivos como a alegria, a cooperação e sobretudo o amor.  
22 / Masculino / Professor
 A teoria aumentou em muito o meu nível de conhecimento sobre o funcionamento do meu corpo e ajudou a vencer alguns medos. Na minha vida profissional, ainda não tive oportunidade de aplicar os conceitos aprendidos, mas tenho boas perspectivas de usá-los assim que possível.  
24 / masculino / Estudante
 Conhecer a teoria me possibilitou um mergulho em áreas e discussões às quais não tinha me enveredado. Contribuiu para pensar mais na condição humana e todas as vertentes que ela engloba, sobretudo nas análises do é construído e do que é aprendido frente ao natural do ser humano.  
24 anos / Feminino / Estudante - Bolsista iniciação científica (trab. terceirizado)
 No que se concerne à Teoria da EMH em minha vida pessoal, destaco que esta me despertou para compreender as "falas" e "respostas do meu corpo, bem como a me aproximar do meu "eu". No campo profissional, a Teoria me proporcionou um olhar mais cuidadoso com o outro, passando a compreender melhor as singularidades de cada um.  
34 / feminino / Pedagoga
 O resultado que obtive com esta disciplina foi ampliação da visão critica e envolvimento de forma intensa nas discussções dos seminários, trazendo para o cotidiano as atitudes aprendidas, foi possível resgatar e comprovar o quanto as relações podem e devem ser prazerosas. É necessário desvestir a couraça da atitude repetida e impensada de todo e qualquer reatividade diante do que me põem a prova e assim entender para ser entendido e trocar informações preciosas de disciplina, de amor e equilíbrio ao próximo, a natureza e ao Criador. Criatura, Criaçãoo e CRIADOR, pertencentes a um mesmo DNA e se amparando o tempo todo para uma coletividade popular e consciente de melhoramento do ser, da vida e do bem estar seu e do outro.  
21 / Feminino / Estudante De Matemática
 Ela me ajudou a ver alguns hábitos ruins que eu tinha na minha vida e me ajudou a livra-me deles.Me mostrou como podemos ajudar as pessoas em alguns aspectos e me portar diante de certas situações. 
24 / Masculino / Estudante
 Em relação a teoria, concordo em vários aspectos,como por exemplo a questão energética (energia negativa e positiva), por ser da física, acredito que todo o universo é energia, inclusive nossa alma pois " Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Tudo que pensamos, pode se materializar Einstein nos provou isso pela relação E= mc2, onde energia pode ser transformada em massa. Postanto, concordei com diversos aspectos trabalhados em sala.Algumas coisas ficaram "soltas" e não muito claras.  
27 / Masculino / Estudante de Psicologia
 Pude passar a perceber um pouco mais a influência da EMH em mim na relação com o externo e na relação comigo mesmo.Me atentando mais para perceber a sutileza com a qual a EMH pode ser expressada e assim, me posicionar melhor diante dessas nuances. 
22 / Masculino / Estudante De Quí­mica
 Após ter estudado a EMH, passei a prestar mais atenção nos meus costumes e condutas. Hoje tenho mais noção do que pode me fazer mal e do que pode me fazer bem.Na vida profissional houve os mesmos impactos da vida pessoal. 
41 / masculino / Técnico de Segurança do Trabalho
 Ótimo! Como agente vê as coisas que tem que ser mudadas dentro de cada um de nós!  
23 / Feminino / Estudante de Letras/Professora
 A teoria da EMH teve e terá grande impacto em minha vida pessoal, pois me ajuda a melhorar, ou buscar sempre melhorar o meu estado de espírito e através disso melhorar minhas relaçoes interpessoais, além de conhecer e entender meu corpo e seus sinais.Através dos benefícios alcançados em minha vida pessoal por meio da teoria da EMH são alcançados vários benefícios em minha vida profissional, visto que, enquanto professora é imprescindível que eu procure estar bem comigo e com os outros para que possa desempenhar um trabalho com excelência. 
23 anos / Feminino / Matemática
 No começo ficava pensando nossa que viagem esse negócio de EMH, mas depois de compreender melhor comecei a prestar mais atenção na minha vida, como eu agia e percebi que muitas coisas eram a maior bobagem ficar se preocupando e isso foi muito bom. Na vida profissional também achei bem valido pois temos que levar uma vida mais leve, longe das energias negativas 
25 / Feminino / Estudante
 O impacto que a Teoria da EMH trouxe para minha vida foi o de prestar mais atenção em mim, nas minhas experiências e nas energias produzidas por mim e pelo meio. Na vida profissional o impacto foi o de trazer a dimensão do prazer para minha prática. A aprendizagem pode ser prazerosa se for vivenciada a teoria. Entendi que há outras formas de aprendizado que não seja massante.  
26 / Masculino / Monitor escolar
 Mesmo sem saber se creio na teoria, senti que minha vida passou por situações que se encaixam muito bem nos assuntos tratados em aula, conforme a teoria!Altos e baixos, não consegui dar sequência na evolução de mim mesmo e recaí no outro extremo de energia negativa, mas os pensamentos sobre EMH estão internalizados.Essa parte foi na verdade negativa ,eu não sabia como proceder com quem se mostrava negativo para mim, e eu estava muito aberto e vulnerável. acabando tomando antipatia com pessoas que gosto, não soube ser senhor de minhas ações. 
21 / Feminino / Estudante De Fí­sica/Técnica Equipamentos Biomédicos
 Tanto na minha vida pessoal como profissional já percebo com mais clareza a EMH + e EMH-. Através da lobosofia retiro a EMH- que se acumula.Trabalho em hospital e percebo muitas vezes a EMH- nos pacientes, algo que ficou retido e gerou uma doença.  
23 / Feminino / Auxiliar administrativo
 Depois que conheci a Teoria da Energia Material Humana passei a repensar alguns hábitos e o impacto deles na minha vida uma vez que percebi que muitos deles afetam o meu modo de produção de energia e que essa produção pode gerar consequências positivas e/ou negativas para o meu corpo.  
30 / feminino / Pedagoga
 Pensar uma teoria que se baseia no invisível e suas consequências no plano material é sobretudo um desafio; visto que crescemos em uma cultura que se pauta na matéria, no capitalismo. Ainda assim, conhecer a teoria da EMH é uma possibilidade de desconstrução do velho e ascenção do novo. A teoria da EMH possibilitou-me, em um primeiro momento, separar um tempo para pensar em minhas atitudes diárias e suas consequências nas minhas alegrias e angústias. Viabilizou ainda reconhecer-me como parte de um sistema que se falho, reflete no individual e no coletivo. Saber disso, aumentou ainda mais a minha ânsia em ser um ser humano melhor, que deseja contribuir para a felicidade da humanidade.  
22 / Feminino / Estagiária em uma escola de Ed. Infantil
 4. Acredito que após a descoberta da EMH comecei a observar meus atos e a corrigir alguns hábítos que tinha, que me eram prejudiciais e eu não percebia.3. Aprendi a sempre resolver os problemas, não deixar que a má água, mágoa, fizesse parte de minha vida e aconselhei amigos para que eles se libertassem da energia material humana negativa e que praticassem a lobosofia. 
35 / Masculino / Estudante De Fí­sica
 Acredito que o maior impacto foi despertar em mim o interesse em procurar enxergar o ser humano como um sistema composto de múltiplos co-sistemas percebendo melhorar como lidar de forma mais eficiente com as aspirações psicofísicas.Se tornou um vasto campo de aprendizagem á prática da teroia da EMH. 
28 / feminino / Pedagoga
 A teoria da EMH nos permite compreender o mundo em que estamos inseridos e principalmente entender as nossas práticas cotidianas, tomando consciência da relação homem/natureza. A teoria da EMH me levou a refletir sobre minhas práticas, que anteriormente eram consideradas como algo natural. Tomei consciência portanto da construção histórica destas.  
20 anos / Feminino / Matemática
 Ao perceber a veracidade da teoria da energia material humana, busquei me desfazer diariamente da energia mortal (mediante orações e lobosofia) e aproveitar a vida em sua plenitude. Vejo que minhas relações interpessoais melhoraram, o meu contato com a natureza intensificou-se. Percebo-me, também, mais grata a Deus e às pessoas. Os meus vínculos se tornaram mais fortes e meu olhar mais sensível. Me redescobri uma forma única. Foi incrível! Crescemos à medida que ampliamos nosso conhecimento e experiências. Quando se amplia o olhar, muda-se também a percepção de mundo. Desde que comecei a estudar sobre a energia material humana e ver o quanto era real, minhas perspectivas de vida mudaram e com certeza tenho me tornado uma pessoa melhor e mais humana, mais sensível às emoções e sensações. Isso tem refletido diretamente nos meus estudos (pois estou tendo mais tranquilidade e concentração) e certamente refletirá muito em minha carreira pedagógica, pois quando estamos carregados de energia material humana positiva, ela é transmitida às pessoas à nossa volta. 
42 / Masculino / Técnico Eletrônica
 O conhecimento da existência da tal energia me fez refletir e atentar sobre como estou convivendo com o mundo. É um conceito que precisará de um tempo maior para ser compreendido e experimentado.É um desconhecido poder inato em cada ser humano o que pode ser a chave para muitos males serem curados. 
22 / Masculino / Assistente Administrativo da Policia Militar MG
 Pude perceber que meus níveis de ansiedade e nervosismo tanto em minha vida pessoal quanto profissional estavam diretamente ligados a níveis elevados de erergia mortal negativa em meu corpo. Procurei utilizar a tecnica da lobosofia para corrigir este problema e obtive alguma melhora. 
24 anos / Masculino / Estudante De Matemática
 Eu passei a prestar mais atenção na energia material humana, e aprendi a fazer lobosofia para descarregar essa energia negativa que acumulamos ao longo do dia, isso ajudou muito no relaxamento e a ficar bem comigo mesmo.Como trabalho com alunos de quinto ano, passei a prestar atenção com eles estavam chegando na sala de aula, muitos chegam agitados, tristes, chorando etc. Sabendo da energia material humana eu busquei uma maneira de aliviar isso antes da aula, começar fazendo um relaxamento com eles, conversando antes da aula. Passei a entender mais que a situação que eles estão é gerada por energia negativa. 
26 / Masculino / Estudante de Educação Fí­sica
 Depois das aulas e da leitura do livro, percebo que a Energia Material Humana é muito presente e nos afeta em grande escala (relacionamentos familiares e amorosos, modo de perceber e levar a vida, principlamente). tomamos consciência da imporância de nos relacionarmos bem e verdadeiramente, e as consequências positivas que isso produz em nós mesmos e nas outras pessoas. Vimos também, que a Energia Negativa é produzida pelas nossas dificuldades às vezes morais, culturais, religiosas, que na maioria das vezes são inconscientes e nos afetam seriamente.Na Escola Integrada, local onde trabalho atualmete, procuro tratar as crianças "difíceis" com amor, atenção. Possibilito o diálogo para saber o prque são assim, e vejo que tratando todos como amigos, e conversando, eles sentem-se mais seguros e confiantes e até me emocionam ao falarem que sou o melhor professor, porque quero saber como estão, porque estão inquietos ou quietos demais. Enfim, estou sempre tentando me libertar das minhas couraças ( o máximo possível) para ajudar aqueles que ainda não sabem, não tem consciência sobre seu processo de formação e seus males terríveis. 
28 / feminino / Pedagoga
 A teoria da EMH explica muitas interrogações pessoais minhas. Ela é a base que devemos procurar para nossa vida. Sair da dimensão do capitalismo para a da EMH e produzir uma energia positiva, alcançando o amor e prazer. O impacto do conhecimento da teoria foi grande na minha vida. Me vejo hoje, muitas vezes na escola, tentando sair do modelo atual que me foi pregado.  
18 anos / Feminino / Estudante de Educação Fí­sica
 A EMH me levou a várias reflexões sobre comportamentos da minha vida pessoal, explicou e esclareceu muitas das coisas que observava e entendia de outra forma. Alguns conceitos foram muito novos e diferentes do que estava acostumada, e tive uma certa relutância para tentar compreender. Porém, o conceito de prazer e alívio foi o melhor recebido por mim, porque foi muito fácil colocá-lo em prática e interessante analisar certas atitudes e suas cargas.  
21 anos / Masculino / Estudante de Fí­sica
 A teoria de EMH foi algo que me pegou de surpresa. De certa forma, eu não imaginava e nem mesmo conhecia algo sobre a ela, mas me interessei bastante e foi algo que me trouxe não só um novo aprendizado mas também uma nova reflexão existencial.Busquei utilizar de conhecimentos que obtive na teoria dentro das turmas de monitoria que participo. Passando um pouco sobre como utilizar da sabedoria popular e da importância da energia positiva em nossas vidas.  
24 / Feminino / Estudante De Educação Fí­sica
 Passei a refletir na energia que emite das pessoas. A olhar e encarar a natureza de maneira mais harmônica e a pensar no equilíbrio da EMH como uma forma ou filosofia de vida.No campo profissional o único recado que ficou foi desacelerar, ir com calma pois há tempo para tudo. 
40 anos / Masculino / Professor de Educação básica
 Considero que a teoria da EMH teve um impacto positivo em minha vida pessoal pois através dela fui colocado diante de várias questões com as quais anteiormente eu nunca tinha me preocupado. Uma delas é a questão da diferença entre alívio e prazer. Outra é a questão da dominação masculina com o fim do respeito ao cio natural. Resumindo, através desta disciplina percebi que questões importantes estavam sendo subestimadas por mim e que é importyante que eu reflita sobre elas.Também considero que a teoria da EMH teve um impacto positivo em minha vida porifssional. Um dos motivos é que ela reforçou a necessidade de se levar uma vida em harmonia com a natureza e sendo o homem parte da natureza, mostrou que a educação é muito mais ampla do que o ensino de conteúdo. O ensino de valores, de respeito ao próximo e ao meio ambiente também necessita ser ensinado e isto nos impõe o desafio de conciliar o ensino de conteúdo com o ensino de práticas visando um bom conívio em sociedade. 
27 / Masculino / Estudante De Fí­sica/Projetista Mecânico
 Mudou muito minha compreensão de sociedade e alguns costumes, além de promover uma intensa reflexão sobre algumas coisas que fazemos.Tenho sido mais reflexivo sobre alguns costumes no serviço e convivência com alguns colegas.  
20 / Feminino / Estudante de Pedagogia
 3. A partir da teoria consigo analisar de forma mais cuidadosa o que tenho feito, que gera energia positiva e o que gera energia negativa, principalmente no que diz respeito aos relacionamentos com as pessoas mais próximas: família e namorado.4. Na vida profissional (estágios como auxiliar de classe) tenho buscado, de forma enfática, não reprimir a vivência do desejo por meus alunos (4 e 5 anos de idade), mas sim trabalhar neles a autonomia sobre seu próprio corpo e o controle sobre as suas próprias vontades, auxiliando-os na compreensão das consequências de suas próprias ações. 
28 anos / Feminino / Estudante de Pedagogia/Ass Administrativa
 O impacto da EMH em minha vida foi de que o sexo não vai deixar de ter uma função orgânica e biológica, mas também agora tenho a certeza de que ele é o palco para a produção de energia vita/ positiva ou mortal/negativa. Assim desloquei meu jeito de ver e viver a sexualidade." Conhece-te a ti mesmo " a famosa frase de sócrates ainda atual. Quem conhece a si mesmo tem maior domínio pessoal, logo um docente que se domina consegue influenciar positivamente seus alunos. 
33 anos / Masculino / Téc. Manutenção
 Foi novo para mim. Diria que o impacto foi grande. Hoje tento enxergar as situações da vida de acordo com essa ótica. Entender que emanamos energia tanto positiva quanto negativa fez bastante sentido para mim.Em minha vida profissional pude enxergar com clareza o quanto há de energia material humana negativa na vida das pessoas e foi no meu trabalho que pude perceber o quanto essa energia negativa nos contamina. O mesmo é válido para a energia material humana positiva. É notório quando o indivíduo transporda positividade, confiança, otimismo e isso é energia postiiva e que também nos contamina. 
25 / Feminino / Professora Educação Infantil
 3. e 4 – Não consigo separar a vida profissional e pessoal para falar da EMH. Esse tipo de Energia fez com que pensasse no todo em todos os áspectos da minha vida. Adorei a parte em que fala que para amar você não pode ter ou esperar a mais e sim ser igual. 
20 / Masculino / Estudante De Quí­mica
 Particularmente o contato com a teoria foi uma boa oportunidade de adquirir uma nova perspectiva sobre o comportamento humano, um novo paradigma que conflita e concorda com outros quadros sociais e psicológicos que já conhecia. A nível teórico e acadêmico, portanto, a proposta da EMH foi produtiva em minha vivência.Como ainda não tenho uma vida profissional, relato o impacto da teoria no meu estágio de licenciatura. Pude perceber, com a teoria, a diferença explícita entre prazer e alívio na sala de aula. A educação, de maneira geral, está assentada na base do alívio. Final de provas, término de atividades, férias,intervalo de aulas, todos estes momentos nos mostram uma escola de tristeza, que se alívia a cada momento que se passa e que encurta o período escolar. 
22 / Masculino / Estudante De Matemática
 O impacto foi grande, pois ela me fez pensar melhor sobre as coisas, me fez rever vários hábitos ruins que tenho e de que estou tentando me livrar, me mostrou a diferença entre alívio e prazer, e me mostrou a direção que devo seguir para eu buscar o prazer ao invès do alívio.O impacto foi enorme também pois a EMH me ajudou a compreender melhor a vida e isso me trouxe uma reflexão sobre como agir, quando eu identificar um comportamento ou situação. o que é super importante na vida profissional! 
60 / Masculino / Professor de Matemática
 Ampliação dos horizontes de percepçaõ e atuação, mais importante ainda, a capacidade para dar continuidade de alimentação positiva para novas caminhadas.Dentro do ambiente do campo da didática e, a meu ver o despersamento para a contrução de relações, mais humanizadas que podem enriquecer os cidadãos em construção. 
Feminino / Matemática
 A descoberta da Teoria da Energia Material Humana foi incrível, pois hoje vejo como tudo o que fazemos e sentimos pode afetar as nossas vidas, hoje sei formas de estar bem comigo mesma, aprendi a dar mais valor a ensinamentos que às vezes consideramos besteira, como por exemplo, procurar uma benzedeira, andar descalço, posso dizer que todas as pessoas deveriam saber e conhecer pelo menos um pouco dessa teoria principalmente os jovens, pois a maioria deles não acredita mais nas sabedorias populares faladas pelos os nossos pais e avós. Na questão profissional acho que começa quando estou em equilíbrio comigo mesma, se estou me sentido bem, me sentido aliviada, acho que tudo o que eu fizer tanto na questão pessoal e profissional irá sair bem, pois estarei fazendo com mais prazer, com mais amor, logo isso trará para mim um crescimento profissional. 
24 / Feminino / Estudante
 O impacto que a teoria da energia material humana causou em minha vida pessoal é no sentido de ampliar mais a visão acerca dos hábitos cotidianos, se o fazemos por przaer ou alívio, ou até mesmo por medo, e de que como nós mesmos produzimos energia negativa, e que consequentemente essa pode vir a se transformar em incomodo, dor, mal estar e até mesmo doenças.Ou seja, passamos a ter um olhar mais atento sobre determinadas ações que podem influenciar na produção de energia negativa.  
27 / Feminino / Professora
 TEMH: Poesofia de Agradecimento Mariana Silva Mendes E essa disciplina:Por uma Pedagogia do prazer...Valeu para alguma coisa?A meu ver, para crescer... Estudar sobre a energia,A positiva, a vital,Que se não for bem trabalhadaSe transforma na mortal,Foi importante para repensarNo modo de levar a vida, na realMuitas vezes esquecidaNo intuito de alcançar um ideal. Começamos a partir dos cinco sentidosOlhos, mãos, língua, nariz e ouvidos.Que aula estranha! Que proposta absurda!Lamber meu colega?Que coisa mais churda! Vamos ver no que é que dá...Se é o amor que modifica,Que transforma e edifica,Se ele afeta tanto a mim,Também te transformaráE a matéria que hoje somosOutra matéria será. As vivências e experiênciasNessas aulas realizadasPermitiram a entregaPara o outro ser o guiaNós éramos a matériaEm movimento de troca de energia. Tudo isso se completouNa matéria da segunda-feiraTeoria de Reich, que como todas as outrasSe estudada sozinha fica sem eira nem beira. Foi importante questionarpra tentar desconstruirMudanças, contraposições,O caos pra reconstruir. Nesse meio do caminhoHavia um professorQue dizia que tudo podePor meio do amor. Eu, não tão otimista,Não acredito só nisso.O amor é fundamental,Mas sozinho é rumo ao abisso. Tudo isso foi importantePara meu próprio crescimentoEspiritual e atitudinalVivenciando um novo momento. A proposta das disciplinasForam sensacionaisPor meio delas foi possívelRepensar os atos profissionais. Espero nessa tentativaDe falar pela poesofiaExplicar como foi pra mimAs sensações de cenestesia. Nessa perspectivaQuero ser uma sementeQue lançada ao mundoPossa ser uma crescenteDe emoções positivase transformação de energiaQue nas trocas eu possaSer prosa e poesia Sendo vida nas açõesBuscando a energia vitalFazendo desse o caminhoDa magia essencial. Voltando sempre às raízesDa sabedoria popularQue desde cedo me ensinouDa natureza não desdenharUma vez que vim da terraE à terra irei voltar. Na minha vida quero parceirosDe muito amor e lealdadePra estabelecer uma conexãoQue vai da vida à eternidadePra equilibrar as energiasEm uma relação de igualdade. Agora pra terminar falando do aprendizadoÉ preciso falar da subjetividadeFoi tudo bem elaborado e planejadoMas da minha parte houve reciprocidade. Para as próximas turmas,Se houver alguma divergênciaÉ importante que ambas as partesDesenvolvam a resiliência. A resiliência é como a energiaA primeira transforma a maneira de agirperante uma situaçãoJá a segunda, dependendo de como táAltera a percepção. Se a energia tiver negativaTudo que ela gera é ruimNo entanto, se for positivaA vida vira um eterno quindim! Doce, oleosa, perfumosa e calorosaSão características da energia vitalBora fazer da vidaUma transformação radicalPara que essa energiaSeja sempre primordial. Por aqui vou me encerrandoTerminando sem demora.Ao professor Leonardo JeberUma grande gratidão, um abraçoe até outra hora! Junho/2016 
36 / Feminino / Aux. Adm.
 A teoria EMH, ou seja, a sua prática trouxe mais tranquilidade para o meu dia a dia, reflito mais diante das tempestades e dos imprevistos, até meu superior no trabalho percebeu a diferença, dizem que estou mais calma.  
21 / Masculino / Estudante de Comunicação
 Conhecer a teoria teve impacto na minha vida principalemente nas questões do dia a dia como alimentação, respiração, sensações. Comecei a me preocupar com coisa que antes passavam desapercebidas como a maneira como comemos, respiramos.  
42 / feminino / Pedagoga
 Com o mundo globalizado as pessoas pensam muito no ter e esquecem do ser. Assim o curso me ajudou a entender melhor como canalizar minhas energias e trabalhar de forma positiva. O que mais me impressionou e impressiona é que tudo parte de coisas e atitudes simples do cotidiano. Aos poucos tenho percebido mudanças em mim e em minha família. Tenho indicado o curso para muitas pessoas, pois penso que o que é bom deve ser repassado.  

Tocando Raízes

58 / Masculino / Pesquisador
 Apesar de teste, posso afirmar que gostei muito do formato deste projeto que pretende cultivar os verdadeiros valores da sabedoria popular.